Voltar para os artigos

A inteligência dos cães

COMO AVALIAR A INTELIGÊNCIA DO SEU CÃO

Se você é um daqueles donos orgulhosos e apaixonados, com certeza acha o seu bicho o mais inteligente, bonito e esperto do planeta, não é verdade?

E provavelmente você está correto!

Não que o seu cão seja de fato O MAIS inteligente entre todos os caninos, mas se você se orgulha dele e o observa a ponto de achá-lo tão especial é porque também você se dedica ao peludão e estimula a interação entre vocês. Quando esta interação e estímulo acontece, principalmente desde que o cachorro é ainda um filhotinho, a inteligência do nosso peludo se desenvolve de maneira significativa.

Isso acontece porque, como os cães são animais sociais por natureza, eles se beneficiam muito do convívio com pessoas que passam uma boa parte do dia com eles e se engajam em brincadeiras e joguinhos que desenvolvem a capacidade dos peludos em resolver pequenos desafios e solucionar problemas, como vencer obstáculos, e encontrar caminhos alternativos para atingir seus objetivos, seja pegando uma bolinha debaixo do sofá, abocanhando um pedacinho de ração que está escondido, ou alcançando um brinquedo antes de você.

Cães aprendem muito observando seus parceiros de matilha e através do bom e velho método de tentativa e erro. Então se você quer ter um cachorrinho realmente especial e inteligente, estimule-o. Brinque com ele. Treine-o. Demonstre e ensine ao peludo como ele pode resolver os problemas que aparecem pela frente. Você vai ficar surpreso como isso pode ser divertido e proveitoso para vocês dois.

Existem vários jogos, muito simples, que você pode brincar junto com o seu peludo quando tiver um tempinho que irão ajudar a manter a mente do seu peludo trabalhando e existem outros brinquedos que vão manter seu bicho ocupado mesmo quando você não estiver em casa.

BitCão tem algumas sugestões para você e seu peludo experimentarem. Veja estes produtos:

Clique nas imagens para ver mais detalhes:

Bom, você já deve ter notado pelo texto até aqui que, neste caso, estamos definindo a inteligência do nosso peludo como sendo a capacidade de resolver problemas, encontrar novas soluções para vencer obstáculos, e de aprender observando o comportamento do dono, ou pelo método de tentativa e erro (lembre-se que seu peludo vai aprender muito melhor se você recompensar os acertos dele do que se tentar punir os erros cometidos).

Não estamos aqui avaliando a capacidade do seu cão atender prontamente aos seus comandos, ou seja, não estamos vinculando o termo inteligência com obediência. Por que?

Porque através dos muitos anos de experiência com comportamento e treinamento de cães já aprendemos que nem sempre os cachorros mais inteligentes são os mais obedientes. Pelo contrário, existem cães que demonstram claramente que entenderam a “brincadeira” ou o comando, mas que só vão executá-los se for conveniente para eles.

São eles que nos desafiam a sermos mais interessantes, mais estimulantes, mais criativos, para manter estes peludos interessados em cooperar e a obedecer.

Vai dizer que isso não é inteligência da parte deles?

Algumas raças, e particularmente alguns filhotes, parecem ter uma astúcia inata para se meter em confusão e sair dela ileso. Alguns filhotes parecem já nascer com o “equipamento” necessário para se expressar bem e resolver qualquer problema que apareça na frente dele. A maioria dos filhotes, no entanto, tem um pouco de dificuldade quando é bebê, mas com a devida atenção estes filhotes desenvolvem todo o potencial deles.

Existe até um pequeno teste de “QI” para ser aplicado em filhotes de até 6 meses que pode ser bastante divertido e pode lhe dar uma idéia das áreas que precisam ser estimuladas a fim de tornar o seu filhote se tornar um Einstein ?

Experimente fazer estes testes em uma hora que seu filhote esteja bem disposto, sem fome, sem sono, e em uma hora que ele esteja calmo.

Estes testes são importantes na medida em que lhe ensinan a observar como o seu filhote se comporta em diferentes situações, como ele tende a resolver seus pequenos problemas e “medos” de coisas novas, além de sugerir a forma mais adequada de estimular o pequeno peludo.

E que tipo de brincadeiras podemos fazer para estimular nossos cães?

Bom, a maioria dos peludos vai adorar atividades que envolvam algum tipo de disputa e desafios.

Experimente, por exemplo:

Deixar o seu cão cheirar algumas bolinhas de ração na sua mão ou um pedacinho de Bifinhos. Quando ele demonstrar interesse em pegar a comidinha coloque os pedacinhos no chão e cubra com a sua mão em concha, deixando uns pequenos espaços entre os dedos para que seu peludo possa ver e cheirar a comida, mas não pegá-la. Observe como ele tenta se livrar da sua mão para chegar até as gostosuras. Depois de um tempinho (uns 30 segundos),faça-o sentar (consulte o Apostila de Treinamento da Lord Cão ou o livro Treine o seu Cão – Manual Completo) e só então dê o petisco para ele.

Peça a alguém da família ou a um amigo para segurar o seu peludo em um canto da sala. Peça também para que esta pessoa tampe os olhos do bicho. Pegue um pedaço de Petisco Bifinho e passe na frente do nariz do seu peludo. Em seguida esfregue um pedacinho do bifinho pelo chão, deixando um rastro de odores desde o seu cão até um lugar onde você vai esconder o Bifinho. Depois de ter escondido a gostosura deixe o peludo livre e estimule-o a procurar o grande prêmio, apontando o chão por onde você esfregou o pedacinho de Bifinhos.
No começo não faça uma distância muito grande entre o peludo e as gostosuras, nem as esconda em um lugar muito difícil de achar. Vá tornando o desafio mais intenso aos poucos. Você pode também usar o brinquedo predileto do seu cão para fazer esta brincadeira.

Uma outra variação da brincadeira de esconde-esconde é você se esconder do seu cachorro. Ao invés de usar os petiscos como isca use-os como recompensa quando o bicho lhe encontrar.

Dê nome aos brinquedos do seu peludão e sempre peça que ele busque um brinquedo específico, como por exemplo: pegue a bola azul; ou pegue o jacaré; ou ainda pegue o osso. Só aceite o brinquedo e faça muita festa quando ele acertar qual é o brinquedo que você estava pedindo.

Invente outros jogos com seu peludo e sempre estimule-o a pensar como resolver um pequeno quebra-cabeças

Lembre-se sempre que os nossos bichos também sofrem com a falta de exercício físico e mental. Quando deixados por muito tempo sozinhos, também se sentem entediados, ficam tristes, e acabam adotando comportamentos indesejados, destrutivos, ou mesmo agressivos.

Mantê-los ativos e saudáveis é um grande passo para uma convivência harmoniosa.

A obra A INTELIGENCIA DOS CÃES de Claudia Pizzolatto está protegida
com uma Licença Creative Commons – Atribuição – Uso Não-Comercial – Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em www.bitcao.com.br.
Permissões adicionais ao âmbito desta licença podem estar disponíveis em fale.php.
publicada em 23/02/2001

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz