Voltar para os artigos

Brinquedos para cada idade do cachorro

brinquedos para cada idade do cachorro

Uma dúvida comum é qual o melhor brinquedo para o cachorro.

Existem diversas formas de classificar os brinquedos para os nossos peludos. Pode ser pelos benefícios que propiciam como auxiliares na mudança de comportamento, pelo tamanho da raça, pelo nível de energia, pelo ambiente em que o animal vive, etc.

Hoje vamos abordar o conceito de desenvolvimento emocional dos nossos queridos amigos e, assim, além de sugerir brinquedos, explicaremos um pouquinho do que acontece com os cães durante o seu amadurecimento.

Existem outros aspectos a serem considerados na escolha do brinquedo específico para o seu cão, como o tamanho do bicho para não oferecer um brinquedo grande ou pequeno demais. Pense também na força da mandíbula da pequena criatura e no seu poder de destruição. “Crãocodilos” precisam de materiais mais resistentes, enquanto que os mais “contidos” vão preferir brinquedos mais fofinhos. Então, dê uma olhada nas nossas sugestões e faça uma escolha adaptada para os gostos e potenciais do seu amigão.

Brinquedos por idade

1ª FASE: nascimento até 7ª semana de vida

A primeira fase da vida de um cachorrinho vai do dia em que ele nasceu até a 7a semana de vida. Durante este período o filhote tem muito mais a aprender com os irmãos e com os pais do que propriamente com os humanos. Claro que a forma como o criador cuida do filhotinho vai ter alguma influência na maneira dele perceber o mundo, mas esta é a fase mais importante para conviver com sua família canina e o filhote não deveria ser transferido para a nova casa antes de completar 49 dias de vida.

Nos primeiros 10 dias do filhote na nova casa ele não precisa de nada mais que amor, paciência, companhia. O mais importante não é ensinar nada a ele, não é fazer xixi e cocô no lugar certo, não é aprender a dormir sozinho, nem mesmo o próprio nome. O mais importante é dar tempo para ele se adaptar à família humana, com a qual ele estabelecerá laços de confiança e respeito.

Brincar com você é o mais importante. Comer bem, dormir bem, ser acariciado e ter a sua companhia o máximo possível. Depois disso, aí sim, vamos pensar em ensiná-lo a viver de acordo com as regras da casa. Não precisa pressa. Um cachorro seguro e que se ligou ao seu dono e a sua nova família vai ter muito interesse em aprender tudo o que a gente ensinar e vai querer nos agradar para sempre.

Mas não tem nada que você possa dar a ele?

Tem sim, alguns brinquedinhos ajudam a dar conforto e segurança e também estimulam os sentidos e a coordenação motora. O que ele precisa nesta fase?

1 – Snuggle Puppie

Um bichinho de pelúcia diferente. Ele tem um coração que bate e a barriga fica quentinha dando conforto e segurança ao seu peludo. Ideal para os cães que ficam muito tempo sozinhos e filhotes que choram à noite. A companhia perfeita para o seu cachorro!

01-snuggle-puppie

2 – Osso de Corda Ferplast para Cães – 2 Nós

Indicado para entreter seu cachorro por muitas horas e evitar que ele roa as franjas do tapete. É perfeito, também, para filhotes em fase de troca de dentes.

02-corda-ferplast

3 – Bolinha Cravo

A Bolinha Cravo da BitCão é perfeita para gastar a energia dos cães mais ativos. Sua textura diferente aguça o interesse dos peludos, e o formato em bola é diversão garantida na hora de perseguir o brinquedo pela casa ou quintal. E que tal uma coleirinha com medalha de identificação para ele ir se acostumando e não estranhar quando puder ir passear na rua?

03-bolinha-cravo

4 – Medalha de Identificação em alumínio

Acessório fundamental para localizar um cachorro perdido, ou para atender a exigência de algumas prefeituras colocando o número de registro do seu cachorro (RGA). Deixe o peludo sempre com a coleira e uma medalha com seus telefones. Feitas em ALUMÍNIO ou PLÁSTICO, em modelos e cores que vão deixar seu cão ainda mais bonito.

04-medalha-identificacao

5 – Coleira TUFF – Coastal

Coleiras de nylon ajustáveis, resistentes, feitas com material de alta qualidade e com acabamento cuidadoso e refinado. Em 4 tamanhos e lindas cores, as coleiras TUFF da Coastal dão um toque de sofisticação e exclusividade. Produto importado com exclusividade pela BitCão.

05-coleira-tuff

2ª FASE: entre 7 e 12 semanas de vida

Atenção que este é um período muito importante para o seu filhote: nesta fase grandes mudanças estão acontecendo na cabecinha do cachorrinho e é quando ele se interessa pelo mundo que vai além da família canina a qual estava acostumado. É uma fase muito rica, mas também cheia de desafios e alguns riscos. É a hora de ampliar as boas experiências, socializar seu filhote e incentivá-lo a ser independente, seguro e amigável. O problema é que neste período as experiências ruins ou assustadoras podem se tornar traumas permanentes.

Primeira Fase do Medo (entre 7 e 11 semanas de vida)

Da mesma forma que existe uma fase ideal para expor o filhote, existe também uma janela que se sobrepõe à fase de socialização, onde experiências negativas e muito fortes podem causar traumas e, consequentemente, um comportamento inadequado para o resto da vida do seu cachorro.

Por exemplo: um filhote que venha a ter um machucado grave ou dor muito forte nesta fase pode ficar com medo de ser manipulado, ou até mesmo ser pego no colo, mesmo depois da dor já ter passado. Se o filhote for atacado por um outro cachorro, provavelmente ele sentirá medo de outros cães (às vezes de todos os cães, ou só os da mesma cor, ou do mesmo porte, ou sexo do cachorro que o atacou). Se no primeiro passeio de carro ele está muito enjoado e passa muito mal, ele pode ficar com medo de entrar no carro para sempre.

Nem sempre a associação é tão direta. Por exemplo se uma criança está chorando e uma pessoa vem correndo e pisoteia o filhote que está no caminho, ele pode passar a ter horror do som de criança chorando. Se cair uma tábua de passar em cima dele enquanto ele estava fazendo xixi no jornal, na área de serviço, pode ser que ele nunca mais vá até esta área. Se ele é transportado de avião, no compartimento de carga, ele pode desenvolver um comportamento fóbico de barulhos altos e que pareçam com o ronco do motor.

O que eu devo e não devo fazer enquanto espero a primeira fase do medo passar?

Existem coisas que ajudam muito a superar a a fase do medo sem maiores traumas, e existem outras pequenas coisinhas que acabam atrapalhando e muito! Para deixar as coisas ainda mais difíceis, as atitudes que agravam o comportamento medroso nos cães são justamente aquelas que nós tomamos quase que por instinto.

Por exemplo, ao tentarmos acalmar ou consolar um filhote que demonstra medo nós acabamos reforçando o comportamento indesejado como se ele fosse um comportamento positivo. Ou seja, se um filhote está todo trêmulo porque se assustou com o barulho de um raio caindo, nosso primeiro pensamento é pegar o filhote no colo, acariciá-lo e dizer palavras acalentadoras, do tipo”não tenha medo, querido, é apenas um trovão”, ou “eu estou aqui e nada vai acontecer, não tenha medo”. Nossa intenção é tentar manter o filhote calmo e confortá-lo para que ele não sinta mais medo, mas na cabeça do filhote, a mensagem que chega é totalmente outra.

Para o peludinho o resultado deste carinho e cuidado é exatamente o oposto do desejado. Para ele, ao receber carinho e atenção enquanto demonstra medo e tremores fará com que ele se sinta recompensado e apreciado justamente por ter medo. É como se nos ouvidos do filhote as nossas palavras chegassem assim: “isso mesmo meu bebê, fique trêmulo, tenha medo, que eu estou aqui achando isso muito bom”, ou “enquanto você estiver nervoso e dom medo, eu ficarei fazendo carinho e lhe dando atenção, isso não é bom?”.

Tentando acalmar o filhote nós estamos só piorando as coisas. O ideal em uma situação de medo “irreal” como é o barulho de um trovão (afinal, o filhote não está realmente correndo risco de vida só por causa de um barulhão),é você se mostrar forte e confiante para o filhote e se for possível incentivar o pequeno a ir, junto com você, caçar este animal barulhento.

É importante também evitarmos a todo custo cirurgias, a menos que se trate de uma emergência: não existe benefício em evitar traumas comportamentais que supere o risco de morte.

A preocupação em não submeter o filhote a um procedimento cirúrgico doloroso está não só em evitar que ele desenvolva pavor do veterinário, mas também para que ele não tenha que ser medicado e tratado pelo dono, justamente na época em que o pequeno precisa formar uma ligação de confiança e conforto. Imagine o bichinho na fase do medo tendo que passar por curativos, engolir pílulas ou tomar remédios de gosto ruim, se sentir mal e com dor, principalmente quando o seu querido e amado dono se aproxima.

Nunca devemos usar formas punitivas ao corrigir nossos filhotes. Corrigir significa mostrar o que é certo e não punir quando o cão faz algo errado. Infelizmente muitos donos ainda adotam métodos antigos e equivocados na hora de educar seus bichos. Se já é errado e desnecessário em toda a vida do cachorro, durante a fase do medo é importantíssimo não assustar ou agredir o pequeno com jornaladas, esfregadas de focinhos, etc.

É o mesmo princípio da cirurgia eletiva. Se o filhote mal acabou de chegar na sua casa e a sua preocupação em colocar as regras de “quem manda aqui” em jogo e educar o filhote for feito de maneira ríspida e cheia de estresse e pressão, o mais provável é que ele passe a ter uma relação ruim com você. É assim que muitos cães se tornam desconfiados e sempre na defensiva, podendo até mesmo se tornarem agressivos. E quanto a se tornar um cão educado… a probabilidade também é que ele crie uma resistência muito grande, justamente contra o comportamento que você tanto queria que ele aprendesse logo. O segredo é educar o filhote, sim, ensinar o que é esperado dele o quanto antes, mas com muita calma, paciência e delicadeza, para que o novato não ache que ele veio parar numa casa de loucos e pessoas perigosas.

Um desafio extra para quem tem filhos muito pequenos ou para quem tem adolescente em casa é evitar tombos e brincadeiras brutas. Um filhote é como um bebê. É delicado, é frágil e pode se machucar seriamente, mesmo quando achamos que estamos sendo cuidadosos os suficientes. Imagine, então, quando as brincadeiras são pra lá de descontroladas. Um machucado na pata, na coluna, um dente  ou ossinho quebrado, além de perigoso, pode se tornar uma problema maior se o cachorro desenvolver agressividade contra crianças e jovens.

Período de Socialização (entre 8 e 12 semanas de vida)

Nesta idade os filhotes caninos estão mais perceptivos e mais dispostos a absorver e armazenar de forma definitiva experiências que acontecem com o mundo exterior (incluindo sons, lugares e pessoas). Esta é a melhor época para levar seu filhote para casa.

Mas o que é a socialização? Socializar um filhote é dar a ele a oportunidade de ter acesso a tudo aquilo que será comum no seu dia a dia, e se for possível também àquelas coisas ou situações que não serão parte do dia a dia do filhote. Por exemplo: fazer com que o filhote brinque e seja acariciado por diversas pessoas (sejam elas idosas, crianças, altas, baixas, magras, gordas, que falem alto, que falem baixo, que sejam agitadas, que sejam calmas, que usem bengalas, cadeiras de rodas, ou tenham alguma necessidade especial, etc.) irá preparar o filhote para aceitar todo o tipo de gente que ele poderá encontrar eventualmente na vida, e evitará que ele tenha medo ou seja agressivo sem motivo.

E se eu não socializar o meu cachorrinho? Alguns filhotes possuem um temperamento tão bom e equilibrado que a pouca exposição que ele recebe no mais normal dos ambientes já é suficiente para mantê-lo feliz, saudável e em harmonia com a vida e com toda a diversidade que ela apresenta. Esta turminha não é a maioria, mas é uma benção. O mais normal é o cachorro sofrer com a falta de socialização no período ideal e  ter algumas dificuldades em situações específicas, como morder pessoas estranhas que entram na casa, ter medo excessivo nos dias de chuva ou de jogos de futebol, não gostar de ir passear na rua, ter medo ou ser agressivo com crianças pequenas ou outros cães.

Neste universo a vida destes cachorros passa a ser limitada e, consequentemente, a vida dos seus donos também. Do grupo que não se socializou, mas que também não virou um “sociopata”, tem aqueles que, mesmo mais tarde, se beneficiam com aulas de obediência e exposição controlada. Eles não ficam 100%, mas melhoram muito e aprendem a se controlar de forma satisfatória. É o típico cachorro que não gosta de outros cachorros, mas que também não ataca, ou não se esconde no meio das pernas do dono, implorando par ser pego no colo, a não ser que o outro peludo chegue realmente muito próximo. Existem também os cães que mesmo frequentando aulas e sendo expostos (principalmente se o cão já tiver mais de 8 meses de idade),não melhoram muita coisa.

Então, para evitar que seu filhotinho venha a sofrer pelo resto da vida por não entender ou não aceitar o que é diferente da sua casa, coloque-o em contato com o máximo de situações, desde que seguras e tranquilas.

Ah, claro! Como se não bastasse o problema da falta de vacinas, justamente no período ideal de socialização, ainda temos o “probleminha” da primeira fase do medo, então, todo cuidado é pouco, mas não devemos deixar o filhote completamente “protegido” e escondido dentro de casa.

Mas e sobre os brinquedos? O que é bom para um filhote que precisa de estímulos, é curioso, precisa conhecer coisas novas, mas não deve ser assustado com barulhos altos, ou com coisas que podem machucá-lo?  Afinal, nesta fase é importante ajudar o pequeno cérebro de seu filhote fazer mais e mais conexões para se desenvolver plenamente.

Então vamos introduzir texturas diferentes, brinquedos que não fazem barulho muito alto e que possuam o nível certo de resistência para aguentar as pequenas mandíbulas mordedoras, mas que não seja duro e abrasivo com os pequenos dentes de leite.

1 – Brinquedo Barbell Chew Mini Petstages

Os brinquedos da linha Pet Stages são feitos com todo o carinho e tecnologia para interagir, estimular, divertir e ocupar o seu peludo. Duráveis, coloridos, cheios de texturas, e com tamanho adequado para os pequenos de todas as idades.

06-barbell-chew

2 – Bolinha Buddy Bolt

Feita de um composto atóxico de poliuretano, esta bolinha resiste muito mais do que as bolinhas comuns e tem características que vão despertar os instintos do seu cachorro. Seu peludo vai adorar o movimento imprevisível, o desenho exclusivo, e a possibilidade de encontrar uma gostosura presa no orifício da Buddy Bolt.

07-buddy-bolt

3 – Casco de Vaca (4 unidades)

Um petisco saboroso e valioso, pois distrai seu cachorro por horas a fio diminuindo as chances dele roer o que não deve. Dura muito mais do que ossos de couro.

08-casco-vaca

4 – Goodie Bone

Se o seu peludo é do tipo que detesta ficar sozinho, ou não dá sossego quando você tem visitas, ou quando precisa se concentrar em alguma coisa. Se ele não é de ligar muito para os brinquedos, mas adora um petisco ou de roer o que não deve, você precisa conhecer a linha Goodie Bone.

09-goodie-bone

3ª FASE: entre 13 e 16 semanas de vida

É quando o pequeno meliante resolve testar toda a paciência dos seus donos. Ele vai tentar te morder, mesmo que pareça de brincadeira, dominar e testar para ver quem será o líder da matilha. Este é o melhor período para iniciar o treinamento de Obediência Básica para Filhotes.

Os problemas de comportamento nesta fase aparecem muito sutilmente e praticamente não incomodam (ainda!!!). É comum a gente ouvir de outras pessoas coisas como: isso é uma fase, pode deixar que vai passar sozinho. Pode ser. Alguns cachorrinhos, os mais cordatos e submissos, costumam passar por esta fase com tranquilidade e logo superam o período dos testes de paciência.

Outros, menos submissos, podem encarar o nosso consentimento e apatia na hora de corrigir as brincadeiras indesejadas como fraqueza e falta de capacidade de cuidar da matilha. Como não vale a pena correr riscos, nem vale a pena ter muito mais trabalho e dificuldades quando o nosso pequeno já estiver adolescente, é melhor direcionar a energia para os brinquedos dele e brincadeiras que estimulem a cooperação e a obediência.

Vamos começar com pé e as patas direitos?

O filhote nesta idade é impressionantemente curioso, motivado e capaz de aprender. É um total desperdício deixar o peludo pelos cantos, com a maior parte do dia ociosa. Nesta fase podemos ensinar vários truques e brincadeiras para o nosso bichinho, e ele ficará não só mais divertido, como aprenderá a brincar e a interagir com os humanos de forma cooperativa, isso sem falar no desenvolvimento do potencial do nosso peludo em aprender novas palavras e comandos, expandindo assim o vocabulário e a capacidade de raciocínio para resolver problemas. É realmente tornar o nosso amigo em um Supercão! São dicas e técnicas simples que podemos implementar no nosso dia a dia, mas que vão fazer a maior diferença quando o peludo estiver mais maduro e muito inteligente.

Quer uns exemplos?

Toda vez que o seu cãozinho trouxer um brinquedo na boca, dê um nome específico para este objeto. Por exemplo, se ele trouxer um bola azul, diga: que lindo, olha a BOLA AZUL do Rex! (dê bastante ênfase na BOLA AZUL);

Se ele trouxer o Cachorro Esfregão, diga: Rex, me dá o CACHORRO, dá?!; e assim por diante. Dê nome a cada brinquedo e se houver brinquedos iguais, diferencie-os pela cor: a bola Azul, a bola amarela, a bola vermelha, ou pelo tamanho, o urso grande, o urso pequeno. Use sempre o mesmo nome para um determinado brinquedo, e quando você iniciar a brincadeira também peça para que o cão pegue um brinquedo específico, por exemplo: Rex, vai buscar o KONG!

Se ele aparecer com qualquer coisa na boca, diga Não e ignore o brinquedo. Mande-o buscar novamente o Kong. Não diga o nome do brinquedo que ele trouxe para não confundir o filhote. Não diga, por exemplo: Não, este é A Buddy Ball, traga o Kong! Diga apenas: Não, traga o KONG!

Se depois de três tentativas o seu filhote ainda não tiver conseguido identificar que raios é Kong, levante-se, vá até a caixa de brinquedos dele e pegue o Kong. Jogue o brinquedo perto dos pés dele e diga: Pega o Kong, pega! Pronto, vocês estão prontos para brincar.

Outra brincadeira legal é o esconde-esconde, que você pode fazer escondendo pessoas, brinquedos favoritos ou guloseimas. Brinquedos recheáveis são ótimos, pois são recompensas duplas. Cães com instinto de caça adoram estes jogos que ajudam a desenvolver o faro do bichão também.

Se houver mais alguém na casa peça para esta pessoa segurar o seu filhote em algum cômodo, enquanto você esconde a “coisa” a ser procurada. No caso dos meus cães, eu chego a tampar os olhos deles, como as crianças fazem mesmo, e eles adoram. Conte até 3 (parece bobeira mas o cachorro associa esta contagem como a própria autorização para sair procurando e o efeito final é muito mais engraçado),e diga bem animado PROCURA!!!! Ao mesmo tempo, a pessoa que estava segurando o cão libera a fera. No início vá ajudando o filhote a farejar e a procurar, indicando discretamente o caminho. Quando ele achar o que devia ser procurado, faça a maior festa.

No início não repita esta brincadeira mais do que três vezes seguidas, que é para não deixar o filhote cansado. Também assegure-se de que ele sempre ache o que deve ser achado, nem que você tenha que levá-lo, deliberadamente, até o esconderijo. O importante é que ele aprenda que é capaz de achar coisas preciosas.

Se você não tiver outra pessoas em casa para segurar o filhote, prenda-o com uma guia em algum lugar enquanto você esconde “a coisa”. Depois você mesmo vai lá soltar a ferinha.

Se o seu cão aprender rápido esta brincadeira vá tornando os esconderijos mais complexos (mas lembre-se sempre de dar chance do bichão ter sucesso). Se você estiver usando petiscos para estimular o faro do sue cão, no início deixe um pequeno rastro de farelos pelo chão até onde a grande guloseima estiver escondida. Com o tempo vá diminuindo a quantidade de farelos, espaçando o intervalo entre as pistas, até finalmente o seu cão aprender a usar somente o nariz e o vento para achar o esconderijo mor.

Outros brinquedos bacanas para ter e brincar com seu peludo:

As bolas continuam preferidas. Varie a cor, os materiais , as densidades e os tamanhos.

1 – Bastão Orka Mini Petstages

Bastão Orka para cães mini é um brinquedo feito para cães mini e pequenos que adoram morder e que gostam de texturas diferentes, que massageiam a gengiva e ajudam a evitar o tártaro nos dentes. Feito em borracha atóxica, é recheado por um tecido trançado interno que vai deixar os pequenos ainda mais interessados. Perfeito para brincadeiras de jogar-pegar.

10-bastao-orka

2 – Kong Barnyard Cruncheez

Um celeiro cheio de bichos – que cachorro não gostaria de explorar? Para os nossos peludos “urbanos”, estas pelúcias dão um toque diferente à caixa de brinquedos, trazendo mais alegria e fofura para o dia a dia do seu bichão.

Mas além de ser uma fofura, o que mais esse brinquedo tem de interessante? Uma garrafa plástica escondida no corpo do Leitão, da Ovelha e da Vaca! O crec-crec da garrafinha aliada à pelúcia vai dar aquele toque de excitação que todo cachorro adora. Escolha um dos tamanhos e boa brincadeira no celeiro!

11-kong-banyard

4ª FASE (Período das “Escapadas”): de 4 a 8 meses de vida

Se você ainda não ensinou ao seu filhote a vir quando chamado, este é o momento.

Nesta idade ele desenvolve uma “surdez seletiva” que pode durar de poucos dias a várias semanas. É muito importante que os donos saibam como agir nesta fase para evitar que seu cachorro se torne um eterno fujão.

Este período é muito especial, pois muitos cachorrinhos “afloram” sua personalidade, sendo uma surpresa para os seus donos. Cachorros que pareciam uns santos resolvem se mostrar como bichinhos difíceis e teimosos. Claro que nem todos os cachorros viram Mr. Hyde (de O Médico e o Monstro),mas não fique muito assustado se as coisas parecerem andar para trás nesta fase. Se o filhote já foi treinado (lembra que o ideal é começar alguns comandos básicos quando ele ainda é bem pequenino?),é hora de reforçar as lições, mas sempre de uma maneira bastante alegre e lúdica.

Para o filhote que já aprendeu a cooperar com seus humanos basta a lembrança de que ele (o cão) só será recompensado e conseguirá o que quer se for educado, gentil e obediente. Se o filhote ainda não aprendeu a obedecer, esta é a hora e não perca nem mais um segundo. Embora você vá se sentir frustrado algumas vezes, pois o bichão tenta a todo custo se fazer de surdo, este é o momento em que a vantagem física ainda está a nosso favor, além do momento ser propício para mostrarmos quem manda.

Depois dos 8 meses de idade o cão já está fisicamente mais próximo de um ser adulto do que um filhote. Se o cão já desenvolveu maus hábitos e se já teve a experiência de rosnar ou tentar morder humanos e se deu bem, vai se muito mais difícil convencê-lo a abandonar estes comportamentos indesejados. Mas sempre é hora de ensinar bons modos aos nossos companheiros quadrúpedes.

Alguns cachorros são naturalmente agitados. Raças desenvolvidas para o trabalho de caça e filhotes em especial estão sempre um passo na frente da nossa capacidade de contê-los. Eles pulam, correm pela casa, destroem objetos, seja roendo ou abanando o rabo, arrastam qualquer pessoa que tente passear calmamente com eles pela rua, comem tudo o que vêm pela frente… Parecem estar sempre com a bateria carregada além da capacidade recomendada pelo fabricante.

Com este tipo de cachorro, a paciência e o bom humor ainda são o melhor remédio. Não adianta ficar zangado e bravo com eles por muito tempo. Eles nunca fazem todas estas bagunças por mal. Na verdade, eles são umas pestinhas, mas totalmente adoráveis e carinhosos. Tudo o que eles estão tentando fazer é dar vazão a uma enorme quantidade de energia, que na maioria dos casos, fica represada durante a maior parte do tempo ou não são dirigidas para atividades adequadas.

Para tentar minimizar os problemas causados por estes verdadeiros furacões de quatro patas, existem algumas produtos que sempre ajudam. Vamos aumentando o tamanho dos brinquedos para as raças de médio e grande porte e também a resistência dos materiais usados. No caso dos brinquedos recheáveis podemos aumentar o nível de dificuldade em conseguir os petiscos. Tornar os quebra-cabeças mais desafiantes ajudam a manter um filhote teimoso focado.

1 – Kong Wobbler

O Kong Wobbler é um brinquedo que libera petiscos desafiando o cão a derrubá-lo. Seu movimento de “joão-bobo” é diferente e muito estimulante para os peludos. Pode se tornar uma alternativa para oferecer as refeições e é muito resistente e fácil de limpar.

12-kong-wobbler

2 – Kong Duro na Queda

Peludos que gostam de buscar coisas vão se amarrar no Kong Duro na Queda, que apita quando “beijado” e flutua. Sua cor vibrante faz com que se destaque em diversos terrenos, é leve o suficiente para não irritar o vizinho rabugento se vocês moram em apartamento, e sua textura ainda faz “coceguinhas” na boca do cachorro. Disponível em dois tamanhos e modelos fofos: Sapo e Porco!

13-kong-duro

3 – Kong Original

Um clássico entre os treinadores profissionais e policiais do batalhão canino, o Kong Original é um brinquedo de borracha que os cães adoram e que é extremamente resistente. Seu interior é oco para guardar biscoitos, petiscos, ou material impregnado do odor que o cão deve identificar durante a sua busca.

14-kong-original

4 – Kong Duets Bola Recheável

Kong Duets Bola Recheável é o dobro de diversão! É bola e porta petiscos em um único produto. Um brinquedo ideal para brincadeiras de buscar ou até mesmo entreter o cachorro colocando gostosuras nas cavidades. Seu design exclusivo possibilita aumentar o desafio e deixar a brincadeira muito mais emocionante.

15-kong-duets

5 – Lanterna Laser

Esta lanterna laser é um excelente brinquedo para filhotes ou cães hiperativos/muito agitados. Gasta a energia do cachorro dentro do seu apartamento sem cansar o dono!

16-lanterna

6 – Frisbee para Cães

O que aparentemente é apenas um disco que pode ser lançado a longas distancias tornou-se uma diversão muito popular praticada por pessoas e seus cães. A maioria dos cães tem o instinto natural de buscar objetos jogados por seus donos, o que torna o Frisbeeuma brincadeira excelente para os peludos. São feitos para os cães e, por isto, não machucam quando eles pegam o disco no ar. São três modelos próprios para cães de todos os tamanhos e raças.

17-frisbee

5 – Goodbite

Um formato adorado por todos os cães que sentem prazer em roer objetos duros (especialmente os que não deve roer),com sabores deliciosos. Ele não vai engordar nem passar mal se engolir algum pedaço. Feito de material natural, atóxico, se dissolve no estômago, mas não é alimento e nem é absorvido pelo organismo.

E não se esqueça: Cachorro cansado é cachorro feliz e dono felicíssimo. Se ainda não comprou uma medalha de identificação não deixe para depois.

18-osso-ferplast

5ª FASE (Segundo Período do Medo): de 6 a 14 meses de vida

Pensou que os problemas tinham acabado? Pense novamente. Depois do primeiro período do medo ( quando o filhote tem de 2 a 3 meses de idade)  vem o segundo. Um pouquinho diferente do primeiro, mas que também requer uma atenção extra, pois é quando o cachorro começa a ficar relutante em se aproximar de coisas ou pessoas novas ou até mesmo já conhecidas.

O mais importante é que os donos não forcem o cão nestas situações, e nem tentem consolá-los, deixando que ele resolva o dilema sozinho. Ensine apenas que não há motivo para ter medo, chegando você mesmo perto do objeto, da fonte do som, ou da pessoa “assustadora” de forma determinada, segura e sem alarde. O treinamento de obediência nesta época ajuda a (re)construir a autoconfiança do cachorro e a Thundershirt pode ser um grande facilitador.

Brinquedos bacanas para cães que estão crescendo:

1 – Bola Foobler – Alimentador Eletrônico

O Foobler é um produto que mescla alimentação saudável e brincadeira. Ele alimenta seu cão de forma pausada durante o dia, trazendo diversos benefícios à saúde do animal, ao mesmo tempo em que seu melhor amigo brinca e se desenvolve mentalmente. São seis compartimentos para colocar a ração que pode ser liberada em intervalos de 15, 30, 60 ou 90 minutos (à sua escolha).

19-bola-foobler

2 –  Bumerangue Air Dog – Kong

O Bumerangue Air Dog da Kong combina dois clássicos: a bola de tênis e os apitos – criando um perfeito brinquedo de jogar-pegar. São feitos de um material que imita as bolas de tênis, mas que não é abrasivo. Disponível em dois tamanhos: Médio e Grande.

20-bumerangue-kong

3 – Kong Extreme

Clássico entre os treinadores profissionais, a versão Extreme do Kong é para cães devoradores e obstinados por morder. Mais resistente que a versão original, seu interior também é oco para ser recheado ou para colocar material impregnado do odor que o cão deve identificar durante a sua busca.

21-kong-extreme

4 – Buddy Toys Nylon

Alguns cães possuem uma vontade quase insaciável de ter coisas para roer, mastigar, carregar com a boca. Os brinquedos Buddy Toys são especialmente fabricados para aguentar os cães durões e são extremamente resistentes e duráveis. São confeccionados em puro nylon atóxico e não se partem ou soltam pedaços como os produtos mais baratos feitos em plástico ou PVC, além de contar com a proteção antibacteriana da Microban®.

22-buddy-toys-nylon

6ª FASE (Maturidade): de 1 a 8 anos de vida (varia entre as raças)

Para a maioria das raças a maturidade (inclusive a sexual) ocorre entre um ano e meio e três anos de idade, sendo que raças pequenas tendem a amadurecer mais cedo do que os cães gigantes.

Este período é normalmente marcado com um aumento na agressividade contra outros cães e um novo teste da autoridade do dono. O aumento da agressividade não é necessariamente uma coisa negativa. Muitos cães que eram excessivamente amistosos com estranhos passam a ser ótimos cães de guarda se tiverem recebido o treinamento de obediência enquanto eram filhotes.

Sem dúvida nenhuma, esta é uma ótima oportunidade para reforçar a liderança dos donos através de uma reciclagem no treinamento de Obediência Básica (agora para Cães Adultos) e até mesmo se aventurar em outras modalidades como Agility ou treinos de trabalho para raças específicas. Se o seu cachorro estiver saudável e liberado pelo veterinário é hora de gastar a energia acumulada com exercícios mais vigorosos, de lançar as bolinhas e o frisbee mais longe, de exercitar as mandíbulas poderosas com brinquedos resistentes e testar se você tem sido um bom dono até agora.

1 – Kong Squeezz Osso Crec-Crec

Seu cachorro – e você – vão se surpreender quando morderem ou apertarem este brinquedo. Ele tem um crec-crec irresistível, mas com um som baixo, que é ideal para brincadeiras mais silenciosas. As cores vibrantes (que você pode escolher!) e o material flexível vão fazer desse brinquedo um dos preferidos do seu bicho.

23-kong-crec-crec

2 – Cabo de Guerra Bionic – Toss and Tug

Fazer da brincadeira de cabo de guerra um prazer e uma atividade segura para o cão é um dos objetivos deste brinquedo. Não machuca a boca do peludo, não arrebenta, e é agradável de segurar firme. Como disco, pode ser jogado na grama, areia ou piscina, pois sua cor brilhante se destaca e ele flutua.

24-cabo-de-guerra

3 – Kong Tires – Pneu

O Kong Tires é um brinquedo para morder que foi desenhado para os “mordedores” de plantão. Seu formato único, que parece uma roda de caminhão, tem uma parte externa grossa que cria uma barreira elástica, mas que pode ser mordida. Já a parte interna pode ser recheada com petiscos.

25-kong-tire

4 – Kong Wobbler

O Kong Wobbler é um brinquedo que libera petiscos desafiando o cão a derrubá-lo. Seu movimento de “joão-bobo” é diferente e muito estimulante para os peludos. Pode se tornar uma alternativa para oferecer as refeições e é muito resistente e fácil de limpar.

12-kong-wobbler

7ª FASE (Senioridade): a partir de 8 anos de vida (varia entre as raças)

Ah, a velhice…

Traz algumas coisas ruins e muitas coisas boas…

E quando nosso bichos nos conhecem completamente e nós a eles. Podemos nos comunicar com um simples olhar e saber quase tudo que se passa na cabecinha deles e eles sabem tudo que se passa na nossa. O ritmo alucinado de energia diminui e os mais agitados começam a apreciar a calma que é ficar deitado, perto do dono, contemplando a paisagem. As disputas não são mais importantes, a confiança é mútua e a vontade de passar mais tempo com nossos peludos aumenta.

Infelizmente nem todos os peludos envelhecem 100%. Para alguns o peso da idade chega bem cedo, por volta dos 8 anos, outros, com mais sorte, não parecem ser senhores e senhorinhas antes dos 14 anos. A velhice faz com que precisemos redobrar os cuidados veterinários e é bom ter uma rotina de checkups para ver se está tudo bem com nossos amigões. Alguns peludos apresentam mudanças de comportamento devido à demência, sofrem com cegueira, surdez, incontinência urinária, diabetes, hipotireoidismo e dores. Tudo isso é motivo para a gente ter mais amor, mais paciência, mais carinho e voltar a ter os mesmos cuidados que temos com os filhotes. Nunca haverá motivo para abandonarmos nossos velhinhos.

1 – Kong Senior (para cães idosos)

Igual ao Kong Original só que com uma borracha macia adequada para cães idosos. Nem todo peludo velhinho come e dorme o dia inteiro. Para aqueles que ainda gostam de buscar coisas, de brincar e roer, temos um brinquedo especial para os peludos com mais idade: o Kong Senior.

27-kong-senior

2 – Bichinhos da Natureza – Kyjen

Cachorros costumam gostar muito de bichinhos de pelúcia, mas poucos são feitos especialmente para eles. É preciso ter costura reforçada, partes que não se soltam facilmente, e tamanhos adequados para cada cão, além de ser fácil de lavar. Estes são próprios para as raças Toy ou Miniaturas.

28-bichinhos-da-natureza

3 – Peitoral de Suporte Extremo

O Peitoral de Suporte Extremo foi desenvolvido e fabricado nos Estados Unidos por um veterinário especializado em reabilitação de pacientes pós-cirurgias ortopédicas, que conta também com a experiência com cachorros seniors e com artrite. Este produto é um “todos-em-um”: seja para cães com idade avançada, com alguma doença que lhes impeça de levantar ou caminhar corretamente, ou que tem problemas neurológicos.

Este Peitoral vai fazer a tarefa de transportar e caminhar com seu peludo muito mais fácil, segura e menos traumática.

29-peitoral-extremo

4 – Tapete Higiênico Reutilizável para Cães Senior – Pooch Pad

Extra-absorvente e ideal para cães mais velhinhos que sofrem de incontinência urinária ou que estejam acamados, pode ser lavado por cerca de 300 vezes.

30-pooch-pad

Esperamos que este texto ajude você a conhecer e entender melhor seu amigão e que os brinquedos certos motivem vocês dois a brincarem juntos, aproveitando tudo de bom que a relação homem/cachorro pode oferecer.

Copyright Cláudia Pizzolatto – 2011 – Todos os direitos reservados.
Este artigo tem seus direitos autorais protegidos por lei. É permitida a sua reprodução sem alterações desde que sejam colocados o nome da autora e o link para o site da BitCão.

Deixe um comentário

22 Comentários em "Brinquedos para cada idade do cachorro"

Notify of

3 meses 26 dias atrás

Adorei as dicas. Meu cachorro ama seus brinquedinhos.

Maria Thereza Weyll Figueiredo Nogueira
11 meses 6 dias atrás

Eu adotei um filhote, neto de Dracon alemão com 2 meses.Terrível, ele é Grande, vai fazer 2 anos em março, já é castrado, come de tudo, pano, lençol, roupas, espuma de Lavar louça, chinelos, tudo tem que ser no alto. Não consigo cortar as unhas, dar banho é uma dificuldade, colocar coleira para passeios nem se fala. Os brinquedos não duram 1 dia. Estou desesperada! Pena não ter dinheiro para adestrá-lo. Obrigada!

BitCão BitCão
11 meses 4 dias atrás

Maria, ele ainda é bem novinho, vai fazer muita bagunça ainda! Adestre você mesmo seu bebezão, é mais fácil do que a gente imagina, só precisa de paciência e 20 minutos por dia. É importante você acostumá-lo aos banhos, coleiras e manipulação pra sua vida ser mais tranquila quando ele ficar grandão. Boa sorte!

Lara Beatriz
1 ano 12 horas atrás

Olá, tenho um poodle ( raça pura ) com um mês e 15 dias que chora muito na parte da noite, e na do dia só quer saber de dormir e nada de brinquedos. Isso é normal pra tempo de vida dele?

11 meses 28 dias atrás

Olá Lara Beatriz, é normal sim… Ele deve ter acabado de sair de junto de sua mãe e outros filhotes e pode estar estranhando a falta deles. Ele ainda é muito bebê e você deve estimulá-lo a brincar e interagir com vocês.

Kalliel
1 ano 1 mês atrás
Eu tenho uma yorkshire de 12 anos e uma de 2, ambas são a minha paixão, mas eu não sei mais como fazer pra ensinar a mais velha a brincar com brinquedos… Elas tem mts brinquedos, bolas, pelúcias, brinquedo de corda, brinquedo q apita, osso de borracha, uma caixa de brinquedos cheia, mas a Fly não brinca com eles… Mesmo se eu esfregar comida neles, nada desperta o interesse dela, ela só gosta de brincar comigo, tentando esfregar o nariz nos meus dedos e ganhando carinho na barriga. Eu não me importo de brincar assim, mas eu tbm queria q… Read more »
BitCão BitCão
11 meses 22 dias atrás

Kalliel, cada cachorro tem uma personalidade, e é natural que na “terceira idade” eles já não façam estripulias como aos dois anos. 🙂
Talvez ela se interesse por brinquedos que dão a sensação de aconchego, como a almofada quentinha Puppy Cuddle Pal.No verão, é só não aquecer o recheio. 🙂

Claudineia
2 anos 5 meses atrás

Olá, adorei a matéria, tenho uma ihasa de 7 meses, ela adora bicho de pelúcia, mas acaba rasgando muito rápido, ofereci os de borracha mas ela nem liga, o que devo fazer?

2 anos 4 meses atrás

Olá Claudineia, devemos sempre oferecer uma boa variedade de formas e texturas para os cães, assim eles não se entediam sempre usando os mesmos brinquedos e tiramos a necessidade deles procurarem diversão com nossos objetos! 🙂

HERIBERTO
2 anos 6 meses atrás

Olá, tenho duas cadelas uma idosa 16 anos e outra que adotei tem em torno de um ano. Uma porte pequeno e a mais nova porte médio. Um dos problemas é que a maior e mais nova come toda a comida da velhinha que comie aos pouquinhos e enquanto que a outra….. notei que a velhinha até emagreceu. O que fazer grato.

2 anos 6 meses atrás

Olá Heriberto, você terá que acompanhar as refeições delas para se certificar de que cada uma come do seu prato ou então separá-las nesta hora.

Glayce
2 anos 6 meses atrás

Eu tenho uma Akita de 9 meses, e ela tem medo de pessoas que chegam na nossa casa(ela late e se esconde),outros cães, e brinquedos novos (só quer os antigos).
Ainda não tenho problema para levá-la pra passear, desde que não haja encontro com outros cães.
Mas não estou sabendo lidar com esta situação.
Alguém pode me ajudar?

2 anos 6 meses atrás

Olá Glayce, você terá que incentivar sua filhota a interagir com as situações. Demonstre confiança e, com calma, apresente tanto pessoas quanto objetos e situações diferentes para ela. Insista, pois quanto mais tempo ela levar para se acostumar, poio será para tirar o medo.

Marina Barbosa Torres
3 anos 3 meses atrás

Adoro a Bitcao, todos os produtos que comprei são muito bons, os meus animais adoram,
O pessoal é muito educado principalmente a Isabel que é a gerente.
Parabenizo a todos e dou uma nota 10 para os produtos.
abraços

Fernanda
3 anos 5 meses atrás

Olá, eu tenho um Fox terrier de pelo duro com 12 anos. Antes ele era todo ativo e gostava de brincar com todo tipo de brinquedo, especialmente ossos e bolinhas para jogar e trazer de volta, mas de repente ele desapegou de todos os brinquedos, não quer nem chegar perto dos ossos e fica muito agitado e agressivo, se escondendo debaixo de mesas e camas e latindo. Será que o excesso de energia foi canalizado para agressividade?

3 anos 5 meses atrás

Olá Fernanda, com a chegada da idade, o comportamento do cão pode mesmo sofrer mudanças, mas antes de pensar em algo comportamental, tenha certeza de que a saúde dele está boa. Este tipo de atitude e cães mais velhos muitas vezes são provenientes de alguma dor que possam estar sentindo e aí eles se resguardam, principalmente, da manipulação.

Luísa
3 anos 9 meses atrás
Meu cãozinho Joe, é muito ativo e teve quase todos esses brinquedos quando pequeno. Hoje tem 5 aninhos e ama sua bolinha, sapatinho (de borracha, para cães),seu tapetinho (também é próprio para cães),e seu ossinho. Ele ainda não gosta muito da escova de dentes, mais ama passeios. Sempre levo nos passeios: água, petiscos, e um brinquedinho, sem falar de suas proteções contra o sol. Ele é muito mimado, mas não aceita outros cães em seu território. Por exemplo, como minha casa é muito grande, meus pais viram uma vira-lata linda dos olhos verdes e a pegaram na hora.… Read more »
3 anos 9 meses atrás
Olá Luísa, a primeira providência é você levá-lo ao máximo possível para locais onde tenham outros cães. Só com a convivência é que ele vai começar a se acostumar com a presença de outros cachorros. Não importa se ele late para eles, uma hora ele vai cansar e parar. Dar uma boa dose de exercícios antes de leva-lo até os outros cães geralmente é bem mais eficiente, já que ele chegará com menos energia e sem muita vontade de arrumar confusão. Procure ver se na sua cidade existe algum tipo de treinamento em grupo para obediência. Estas turmas costumam funcionar… Read more »
Gabrielle
4 anos 2 meses atrás

Gostei muito da matéria de vocês.
Mas eu adotei um Spitz Japonês com uns 3 anos já.
E ele não é muito de brinquedos. Para começar ele não se interessa nem um pouco por bolinhas, e não gosta muito de morder coisas.
Comprei para ele brinquedos do tipo dispenser. E osso natural.
Ele só quer sabe de comida…
Queria algo que instigasse ele.. Acho que vou tentar os que apitam..

4 anos 1 mês atrás

Olá Gabrielle, no caso do seu Spitz Japonês, pode ser que ele não esteja acostumado com brinquedos na casa antiga. Continue estinulando e oferecendo os brinquedos, provavelmente ele vai se interessar aos poucos, pelo menos por alguns. Se ele gosta de comida, você pode oferecer os brinquedos interativos, como a Pet Ball ou a Super Pulga.

cristina alves dos santos
4 anos 4 meses atrás

adorei as explicações! se eu seguir 30% já será fácil a convivência.
Pena que sou solitária e ele acabará sendo tb!

wpDiscuz