Voltar para os artigos

Chocolate pro peludo? Nem pensar!

A curiosidade é uma das características mais encantadoras de nossos bichos: quem não se derrete por filhotinhos de cães e gatos descobrindo o mundo, correndo pelo gramado pela primeira vez, se divertindo com um novo brinquedo e até roubando comida? Eles são adoráveis, mas muitas vezes metem o focinho onde não são chamados – e, para nosso desespero, muitos mantêm esse (mau) hábito quando adultos.

Por isso, olho vivo no seu ovo de Páscoa! Chocolates são alimentos proibidos para cachorros e gatos. Chocolates, aliás, deveriam vir com uma tarja gigante: “cuidado, engorda!” para nós, humanos, e “cães e gatos, mantenham distância”, para não cairmos na tentação de oferecer “só um pedacinho” de bombom diante de um olhar suplicante. O risco está em dois agentes tóxicos presentes nos chocolates – a teobromina e a cafeína – cuja concentração varia conforme a qualidade do produto. Os efeitos colaterais dependem da quantidade ingerida versus o peso do animal e de sua sensibilidade: vão desde vômitos e diarreia até batimentos cardíacos irregulares, agitação, hiperatividade, respiração ofegante, tremores musculares, dor abdominal, sangue na urina e aumento da temperatura corporal. O chocolate pode, sim, levar ao óbito do animal! Portanto, coma todos os seus ovos e bombons sozinho (ou, se estiver de dieta, divida com a gente!).

NÃO É PELOS CEM REAIS O QUILO…

Bem, posso ao menos celebrar a Páscoa oferecendo bacalhau para o meu peludo? Claro… que não! O bacalhau também está na lista de alimentos proibidos para cachorros e gatos. Ué, mas não é peixe? A menos que vocês vivam na Noruega e comemorem a data em um barco pesqueiro, o bacalhau que vai para a panela é salgado e certamente temperado com cebola, que contém tiossulfato, que pode causar irritação gástrica ou problemas mais graves, já que cães e gatos não possuem a enzima que metaboliza essa substância. Os felinos, aliás, também devem passar longe do alho, que pode ser ingerido por cães em pequenas quantidades.

A casca da batata contém solanina, também potencialmente tóxica. O tubérculo pode até integrar algumas dietas naturais, mas sempre com orientação do veterinário nutrólogo e jamais cruas. Fritas nem pensar, certo?

PODEMOS AO MENOS COMPARTILHAR A SOBREMESA?

Se você faz parte do time que divide o pavê com o totó para aliviar o sofrimento na hora de encarar a balança, lembre-se que alimentos açucarados não respondem apenas por nossos incômodos pneuzinhos, mas por problemas dentários e problemas gástricos nos nossos amigões. Portanto, doces são alimentos proibidos para cachorros e felinos. E o que dizer daquela gordura da picanha? Ela e todos os outros tipos de gordura em excesso geram doenças como a esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado). ­

Existem casos de cães intoxicados pela ingestão de macadâmia e uvas passas. Carambola e brócolis em excesso soltam o intestino dos nossos amigões, e cogumelos, inclusive o popular champignon, devem ficar longe da dieta dos nossos patudos.

Ossos cozidos, fervidos ou esquentados são proibidos, pois podem perfurar o aparelho digestivo dos animais. O consumo frequente da casca do abacate está associado a danos renais. Uvas e uvas passas, bem como frutas cristalizadas, também são proibidas.

Uma causa comum de obstrução intestinal e que pode demandar até cirurgia é a ingestão de espigas de milho. Embutidos como salsicha, mortadela e afins causam irritação gastrointestinal.

Carne de porco é permitida para cães e gatos, além de ovos crus – até dois por semana. Peixes carnívoros podem ser oferecidos crus. A beterraba é liberada, mas o seu animal só vai digeri-la se for cozida ou triturada. Além do mais, se você esquecer que ele comeu o tubérculo, vai levar o maior susto quando for recolher as fezes!

ALIMENTOS PROIBIDOS PARA CACHORROS E GATOS

  • Chocolate
  • Bebidas alcoólicas
  • Bebidas com cafeína
  • Uva, uva passa e frutas cristalizadas, macadâmia
  • Alimentos açucarados
  • Cebola e alho (proibido para gatos)
  • Casca de abacate
  • Ossos cozidos, fervidos ou esquentados
  • Frutas com sementes
  • Doces e comidas açucaradas com Xilitol
  • Embutidos
  • Espigas de milho

O JARDIM DOS PELUDOS

Quem tem animais deve “blindar” o lar e ficar atento ao que pode comprometer a saúde dos danadinhos. Plantas, por exemplo, exercem uma atração quase irresistível.  Seu bichinho observa aquelas folhinhas balançando e pensa, “oras, merecem uma boa abocanhada!”. Se ele escolhesse o manjericão ou a hortelã poderiam até ficar com um bafo legal, mas é claro que vai mirar nas perigosas: antúrio, copo-de-leite, jiboia, jasmim, lírio-da-paz, samambaia e até no kit contra mau-olhado, espada-de-são-jorge, comigo-ninguém-pode e arruda que, entre outras, possuem substâncias altamente tóxicas. Se você suspeitar que o malandro ingeriu algo impróprio, lave a boca dele com muita água e ligue imediatamente para o veterinário. Não dê leite e nem tente induzir o vômito, pois algumas plantas são irritantes e cáusticas para a mucosa oral e para o esôfago. Cuidado, também, com fertilizantes e insetos. Nem queira saber como dóóóói uma picada de abelha!

Fique de olho:

– Esconda os fertilizantes (inclusive naturais como Torta de Mamona – substitua por Torta de Algodão, que não é tóxica);

– Conserte telas e cercas quebradas;

– Luminárias de jardim podem ter fios desencapados ou desenterrados;

– Plantas perigosas: antúrio, copo-de-leite, jiboia, jasmim, lírio-da-paz, samambaia, espada-de-são-jorge, comigo-ninguém-pode, acácia, crisântemos, dedaleira, hortênsias, espirradeira ou oleandro, azaleia, tinhorão, chapéu-de-napoleão, coroa-de-cristo, trombeta, bico-de-papagaio (muito comum na época do Natal), entre outras;

– Aranhas, abelhas, sapos, rãs, formigas, algumas lagartas e mesmo cobras e escorpiões podem usar o jardim ou vasos como abrigo.

DENTRO DE CASA

Quem tem filhotes não pode se descuidar de tênis e chinelos: eles adoram carregar e, claro, mastigar muito, mas muito mesmo. Em casos assim, o pior que vai acontecer é você ter de comprar outros, mas se o peludo mantiver a boquinha nervosa e decidir “explorar” a casa, pode se machucar de verdade. Fios elétricos causam choques quando roídos, e você nem vai querer pensar na possibilidade dos dentinhos afiados do seu cãozinho chegarem perto da mangueira do botijão de gás. Sempre que pegar o meliante no flagra dê um sonoro “não” e distraia-o com um brinquedo ou outra atividade. O mesmo vale para o seu sapato que custou aquela fortuna, claro!

Telas nas janelas são essenciais para evitar quedas dos peludos – especialmente os gatinhos, tão curiosos. Se você mora em casa, fique atento também aos vãos da grade do portão e à “integridade” da tela, que pode ser roída por peludos “desocupados”.

A regra para produtos de limpeza é a mesma para casas com crianças: guarde-os a sete chaves. Na hora da faxina, não deixe o peludo por perto para evitar que ele lamba o chão, que deve ser enxaguado sempre com muita água para eliminar todos os resíduos. Mas se, por um descuido tremendo, o animal ingerir algum produto químico, corra para o veterinário. O nível de toxicidade dessas substâncias é altíssimo, e o vômito pode provocar queimaduras em todo o trato gástrico.

Cuidado redobrado com os remédios! Esconda-os do seu gato, cachorro e de você mesmo. Muitos veterinários já atenderam animais que mastigaram cartelas de tranquilizantes, antiácidos e até de antipulgas – alguns casos podem ser fatais. Além disso, a medicação sem orientação, tão perigosa para nós, é ainda maior para a turma de quatro patas. O sistema digestivo deles não consegue absorver medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios indicados para humanos, por exemplo. O Paracetamol, princípio ativo de diversos remédios populares, causa lesão no fígado de cães e pode ser fatal para gatos.

REMÉDIOS

Princípios ativos como os listados abaixo fazem parte dos nossos remédios do dia a dia e podem ser perigosos e até fatais se ministrados sem a orientação do veterinário. Só ele pode avaliar o problema do animal e receitar o que é mais adequado.  É importante ler sempre as bulas dos medicamentos: remédios e dosagens indicadas para cães podem ser altamente tóxicas para gatos.

  • Ácido acetilsalicílico
  • Ibuprofeno
  • Naproxeno
  • Paracetamol
  • Antidepressivos
  • Vitamina D
  • Calciferol
  • Baclofeno
  • Metilfenidato
  • Pseudoefedrina (presente em xaropes e remédios para gripe e sinusite)

 

GATOS – MEDICAMENTOS PROIBIDOS

  • Ácido acetilsalicílico (Aspirina®)
  • Paracetamol (Tylenol®, Anador®)
  • Pseudoefedrina (Claritin®, Tylenol Sinus®, Loratadina®)
  • Salicilato de Bismuto (Pepto-Bismol®, Pepto-Zil ®)
  • Ibuprofeno (Advil®)
  • Piroxicam (Feldene®, Inflamene®)
  • Fosfato de Sódio (Fleet Enema®)
  • Xampu a base de Alcatrão (Sebotrat -O®, Ionil T®, Polytar®)
  • Xampu com Benzoato de Benzila (Acarsan®)
  • Xampu com Ácido Salicílico
  • Xampu com Sulfeto de Selênio (Selsun Ouro®, Selsun Azul®)
  • Peróxido de Benzoila – usar com cautela (Peroxydex®, Sanadog®, Pertopic®)
  • Piretróide (Antiparasitário como Butox®)
  • Levamisol (Ascaridil®)
  • Azatioprina (Imuram®)
  • Piridium®
  • Diclofenaco potássico (Cataflam®)
  • Diclofenaco sódico (Voltaren®)

CÃES – MEDICAMENTOS PROIBIDOS

  • Diclofenaco potássico (Cataflam®)
  • Diclofenaco sódico (Voltaren®) e a grande maioria dos anti-inflamatórios de uso humano
  • Piridium®

Por fim, faça regularmente uma revisão nos brinquedos da “molecada”, e jogue fora, sem dó, aqueles que estiverem soltando o recheio ou apresentarem algum tipo de perigo, como pedaços que eles possam engolir. A função do brinquedo é entreter os animais, e se eles os destruírem, ela já foi cumprida. Aproveite para escolher outros bem bacanas – e divertidos! A BitCão tem diversas sugestões para fazer o seu amigão ainda mais feliz!

por Regina Ramoska

Deixe um comentário 3 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 comentários em “Chocolate pro peludo? Nem pensar!”

  1. Jessica disse:

    Excelente texto!!!!!

  2. Beatriz disse:

    Ola, li a matéria sobre alimentos proibidos e com surpresa vi que a uva não consta dos itens perigosos à saúde dos cães. Ainda não conversei com nenhum vet, mas sempre que pesquiso na net sobre o assunto, a uva aparece como uma vilã para os rins dos caninos. Eu as vezes dava para meus Caes e depois de ler o alerta parei totalmente. Afinal, quem está certo?
    Obrigada, abs a todos

    1. BitCão disse:

      Olá Beatriz, nós consultamos os veterinários e não há um consenso a respeito da uva em natura. Como sempre o conselho comum é que se remova as sementes e não seja oferecido uvas secas (uva-passa). Mas colocamos a uva na lista, para não haver a chance de alguém dar. O importante é seguir a orientação do SEU veterinário já que somente ele conhece a fundo o histórico da saúde do peludo.