Voltar para os artigos

Como escolher o hotel do peludo?

como escolher o anel do cachorro

Nós realmente gostaríamos de levar nossos peludos na maioria (ou em todas) as viagens, mas isso nem sempre é possível. Eles não são bem-vindos na maioria das praias, áreas de preservação ambiental e muito menos na Torre Eiffel! Muitas vezes nossos bichinhos não podem viajar devido a idade, por questões de saúde, quando estão no cio, etc. Quem não tem um parente ou vizinho ponta firme para cuidar do amigão por uns dias recorre a hospedagens domiciliares, pet sitters ou a hotéis, e vem aí a dúvida: o que os diferencia? Como escolher o melhor?

Um lugar que trabalha com seriedade certamente permitirá visitas em qualquer dia e horário – é fundamental averiguar as condições de higiene, conhecer as pessoas que tomam conta dos bichinhos, verificar se há espaço para brincadeiras, sombra e água limpa e fresca à disposição. Mas não é só isso. Os hotéis devem exigir a carteira de vacinação do animal para ter certeza de que todas estão em dia e recomendar a vermifugação. A vacinação, por sinal, deve ser feita sempre com antecedência, pois o estresse causado pela mudança de ambiente provoca uma baixa no sistema imunológico, deixando o animal mais suscetível a doenças. Uma questão importante é a prevenção contra pulgas e carrapatos, muitas vezes realizada pela própria hospedagem antes da entrada do animal. Desta forma, eles têm controle total sobre essas pragas.

como escolher o hotel do cachorro

 

Se o seu animal é birrento, agressivo, hiperativo ou medroso, deixe claro já na primeira visita. Com essas informações, as pessoas que tomarão conta do seu bicho poderão acompanhar melhor a adaptação e a socialização dele com outros animais “hóspedes”. Observe, também, como é a relação dos peludos com estes profissionais: é fácil perceber quando todos estão à vontade e sendo bem tratados, pois os animais não disfarçam seus sentimentos.

Prefira hotéis com espaço para os cães brincarem e interagirem, mas com um lugar especial e reservado onde seu bicho vai descansar. Fuja de locais que ainda utilizam gaiolas ou confinam nossos queridos em espaços minúsculos durante o dia todo.

Confirme se o local dispõe de atendimento veterinário 24 horas, e sempre informe todos os contatos do seu profissional de confiança — é ele que conhece bem o seu bicho.

A mala do peludo deve incluir a caminha e seus brinquedos favoritos. Dessa forma, apesar de estar em um local estranho e sem a companhia das pessoas que ama, o animalzinho terá objetos familiares por perto, o que ajudará na adaptação. Providencie uma peça de roupa usada, aquela com cheiro mesmo, para que o cão se sinta mais tranquilo no novo ambiente (só não espere usá-la novamente no final das férias, hehe). Uma caminha recheável vai deixá-lo mais seguro, também. Inclua na mochila os potes para água e comida e, se possível, a ração com a qual ele está acostumado. Alguns hotéis fornecem a alimentação, e neste caso o ideal é misturá-la à ração que o peludo come pelo menos com quatro dias de antecedência para que ele se adapte. Se o seu cão faz a linha faquir ou torce o nariz na hora do rango, deixe isso claro para as pessoas que vão cuidar dele e considere uma comida mais palatável.

Na difícil hora da separação, disfarce o sofrimento! Deixe o animal com os cuidadores e saia sem alarde para que ele se sinta seguro e confiante. Se a experiência for boa – e, acredite, você vai perceber isso na volta – passe a deixá-lo no mesmo lugar nas próximas viagens. Com esses cuidados, certamente as férias do peludo serão tão alegres e animadas quanto as da sua família humana!

A BitCão recomenda:

– Visite o local mais de uma vez e em horários diferentes.

– Olho vivo na higiene do local, tanto dos canis quanto das áreas comuns.

– Como é o piso do hotel? Se o seu bicho só vive em apartamento e vai viver dias de aventura, poderá voltar com algum raladinho nas almofadas (e isso não será necessariamente ruim). Botinhas antiderrapantes podem ser bem-vindas.

– Observe se existem situações de risco para o peludo como um lago, por exemplo, ao qual ele pode ter acesso sem supervisão.

– Hotéis sérios costumam oferecer um período de adaptação (por exemplo, uma tarde) antes da estadia do animal.

– Fique de olho em como os hóspedes se comportam. Parecem tranquilos? Estão fazendo alguma atividade?

– Como é a relação dos animais com os tratadores?

– Com que frequência a água dos canis é trocada? Existem potes nas áreas comuns?

– O responsável pelo hotel anota as características do seu animal, inclusive doenças, necessidade de remédios e os contatos do seu vet de confiança?

– Uma das melhores formas de escolher um hotel é pedindo referências: vasculhe na internet, cheque os sites de reclamação e tire todas as suas dúvidas antes de agendar a estadia do animal.

– Nunca deixe seu peludo em uma hospedagem sem colocar uma medalha de identificação com o telefone de pessoas próximas.

 

Deixe um comentário 3 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 comentários em “Como escolher o hotel do peludo?”

  1. Glaucia Reyes disse:

    Querida Claudia. Isso de Vet 24hs no hostel p cães. Uma vezinja cachorra teve vômitos e diarréia e, claro, foi levada p/ uma Clinica (muito boa)
    Eu estava fora do país. Cheguei em 2 dois dias e saí correndo pra pegá-la. Ela estava bem, mas a conta da Clinica (3dias de internaçao. Com Ultra e remédios) foi maior do que 20 dias no Hostel. Foram R$ 1.700,00!! E se fossem três mil ou mais??? Enfim, eu teria de pagar . A partir daí fiquei insegura. Não faço dinheiro. E isto. Beijo e obrigada

  2. Simone disse:

    Gostei das orientações, que me servirão para uma conduta correta no meu futuro hotel para poeta.

  3. Sonia Maria B Ferreira disse:

    Dicas excelentes, concordo plenamente. Estou fazendo exatamente essa pesquisa para deixar 0 meu cãozinho por um fim de semana,para testar se ele vai gostar.
    Obrigada a BITICAO a Cassia Rabelo.