Voltar para os artigos

Como evitar brigas com um novo cachorro em casa

Chega de brigas!

Muitas pessoas que já possuem um cãozinho resolvem ter outro para fazer companhia ao primeiro, ou simplesmente gostam tanto de cães que optam por aumentar a família. Se para alguns a tarefa de reunir cachorros é fácil, para outros pode significar uma tortura. Como fazer os peludos se darem bem e não haver brigas na casa? Se pararmos para pensar no assunto com cuidado, veremos que as variáveis são muitas e as chances de sucesso na introdução de um novo membro na matilha podem ficar comprometidas. É possível pensar em diversas combinações entre o cachorro que vai ser introduzido e o que já está na família e, em cada uma delas, existir uma particularidade (independente do temperamento do peludo atual e do futuro). Precisaríamos de um livro para detalhar todas as possibilidades, então vamos passar uma ideia geral da técnica para se introduzir um novo cão na família e, quando for oportuno, faremos comentários sobre casos específicos.

famiia-texto01

A técnica do passeio

Talvez a forma mais fácil e menos traumática para se apresentar um novo cão à sua matilha seja levando todo mundo para dar um passeio. Um território neutro costuma fazer milagres nas relações caninas. Se você está adotando um peludo adulto, é só colocar todos os seus cachorros nas guias e levá-los para dar uma volta. Logo no início do passeio, peça a alguém – que os seus bichos conheçam e gostem – para se aproximar com o novo membro da família também na guia e caminhem todos juntos, mantendo uma distância segura entre os cães. De início, não pare para “apresentá-los”, simplesmente coloque todo mundo para andar. Se você tem só um cachorro, coloque-o para andar ligeiramente na frente do novato. Já se você tiver uma pequena turma, coloque o que costuma ser o líder na frente e deixe o caçula no final do pelotão. Quando todo mundo já estiver um pouco cansado e aceitando a proximidade do novo cão, é hora de deixar que eles se cheirem.

Procure sempre ficar com os cachorros mais antigos e a outra pessoa com o novo cão. Um monte de carinhos e petiscos ajudam a dar uma sensação de bem-estar entre os peludos. Se você estiver apresentando um filhote a cachorros adultos, é provável que não haja brigas: dificilmente (mas não é garantido) um cão adulto ataca um filhote. E se todo mundo for filhote, aí é que não tem problema mesmo. Eles vão logo se animar e começar uma brincadeira!

A apresentação dentro de casa

Se o filhote a ser apresentado ainda for muito pequeno para ir à rua, apresente os seus cães em “território neutro”, por exemplo, na casa de um amigo. Devidamente apresentados, então é hora de voltar para casa. Faça os seus cães entrarem primeiro, solte-os da guia se você já estiver confiante e só depois entre e solte o novo membro. Se os seus cachorros derem certa “imprensada” no bebezão, não fique excessivamente preocupado. Isso é normal e eles não deverão machucar o novato, que deve se colocar em uma posição física e hierarquicamente inferior aos seus cães. Interfira apenas se os cachorros estiverem realmente machucando o novo peludo, ou se o novato resolver “encarar” o assédio. Neste caso, ponha todo mundo na guia novamente e só solte quando todos estiverem mais calmos. Uma cerca ou um portão para separar ajudam, mas ao mesmo tempo é importante permitir que eles se vejam e se cheirem. Cuidado para não separá-los por muito tempo (mais de uma semana), pois as chances de sucesso ao juntá-los diminuem.

Outra boa estratégia é primeiro deixar o filhote com o cão mais amoroso e paciente da matilha atual num local mais reservado e seguro. Assim, o cão mais novo forma um laço de amizade e companheirismo com um cão que já faz parte da matilha, facilitando a sua aceitação pelos outros membros. Nunca deixe o cãozinho a sós com os veteranos. Apesar de, em geral, o filhote ser bem aceito pelos cães adultos, há casos de ataques e as chances de lesões graves são altas.

 

Alguns cuidados especiais

Certifique-se que o filhote tenha o seu próprio pote de comida, água, paninho ou caminha para deitar e um cantinho para ficar quieto. Aproveite para garantir que o cachorro mais velho tenha um lugar especial para se manter afastado do novato, principalmente quando o cachorro que já estava na casa é adulto e você está recebendo um filhote, ou se o cachorro mais antigo é pequeno e o mais novo é de grande porte.

Reforce, a todo momento, que os que já moravam na casa têm privilégios que o caçula ainda não pode desfrutar. Fale, brinque e alimente primeiro o mais velho. Se o cão “das antigas” resolver tirar o brinquedo da boca do novato e ainda atormentá-lo um pouquinho, deixe. Quanto menos interferirmos nos “arranjos caninos”, melhor!

 

O que é melhor: mesmo sexo e mesma raça?

Cães do mesmo sexo (macho com macho, fêmea com fêmea) tendem a ter maior dificuldade para se adaptar do que quando os sexos são opostos. Além disso, se eles não brigarem enquanto um é mais velho e o outro é filhote, as chances de aumentam quando se tem dois machos ou duas fêmeas adultas na mesma casa.

Se você está pensando em ter cachorros de sexo opostos, mas não quer ou não pode cruzá-los no futuro, castre-os o quanto antes. Acredite, não existe “separar” macho da fêmea quando ela está no cio. Até criadores experientes, com espaço mais do que suficiente, empregados treinados e canis reforçados, já passaram pela experiência de ter um cachorro escalando muros impossíveis, fêmeas passando por frestas inimagináveis e filhotes nascendo de encontros difíceis de terem acontecido! Se você mora em apartamento, não é aconselhável a vasectomia do macho (recurso em que o macho pode cruzar, mas não produz filhotes), pois a choradeira e os uivos durante o período de cio da cadela vão deixar você esgotado e os vizinhos furiosos.

Raças iguais tendem a se dar melhor entre si, mas não é uma regra absoluta. Terriers, de um modo em geral, não deveriam ser colocados com cachorros do mesmo sexo, como também não deveriam ter mais do que um companheiro/companheira. Tenha em mente que quanto mais cachorros a sua matilha tiver, mais difícil será manter a harmonia permanente, tornando a introdução de um novo membro cada vez mais delicada.

 

E se, apesar de todos os cuidados, acontecer a tão temida briga?

Às vezes dois peludos que sempre se deram bem passam a brigar quando adultos, ou depois que um deles teve algum problema e precisou ficar isolado por algum tempo. Nestes casos, é importante tomar as medidas corretivas o mais rápido possível, o que vai impactar bastante no resultado e na frequência de novos confrontos.

Para reduzir os efeitos negativos de uma briga:

* Mantenha cada cão com a sua coleira para ter onde segurá-lo, se necessário;

* Tente separar os briguentos direcionando sobre eles o jato de ar do Pet Corrector, principalmente se seus cães são grandes, quando dificilmente serão separados sem risco de você levar uma grande mordida ou de um cão machucar mais gravemente o outro;

* Quando os cães estiverem separados, leve um por vez, na guia, para passear (o mais dominante sempre vai primeiro). Isso ajuda a acalmar e costuma ser suficiente para os cães esquecerem as suas diferenças. Depois do passeio deixe os dois juntos, sob supervisão temporária, ou presos pelas coleiras e guias à uma distância segura, mas no mesmo ambiente. Uma variante interessante é os dois saírem para passear levados por condutores diferentes na guia e se encontrarem em ambiente neutro, onde poderão interagir à vontade;

* Procure não deixar os cães separados sem se verem por muito tempo. É melhor manter os dois juntos no mesmo ambiente, cada um no seu canto, do que deixar que os peludos “dominem” uma parte da casa e não permitam mais que o outro chegue perto.

Aqui você pode ver como escolher a melhor coleira para o seu cão!

A grande sacada, se você só tem um cachorro, mas vislumbra a possibilidade de um dia aumentar a família, é não perder tempo nem as oportunidades de socializar bem o seu peludo. Comece a socializar o seu filhote com outros cães o quanto antes, procure convidar sempre os cachorros dos seus amigos para visitarem a sua casa. Quanto mais acostumado a “receber” e brincar com amigos peludos o seu cachorro for, mais fácil será para ele aceitar companheiros permanentes na sua casa. Por falar nisso, que tal aproveitar e apresentar o seu filhote a gatos, hamsters, tartarugas, pássaros e outros bichos? Sabe como é, quem gosta de animais deve estar preparado para tudo!

Importante: São poucos os casos em que o cachorro que já está na casa não aceita o outro de jeito nenhum (seja o novato de outro sexo, seja filhote, seja manso, seja o que for),  mas isso pode acontecer. Se você tem um cão com esse temperamento, peça a ajuda de um profissional experiente para fazer a avaliação correta dos seus bichos. Dependendo do caso, pode ser melhor desistir da ideia de ter outro peludo. Não vale a pena viver o estresse diário das brigas, dos cortes, das visitas ao veterinário e a constante preocupação com a quase impossível tarefa de deixar os peludos afastados uns dos outros.

Claudia Pizzolatto

Este artigo tem seus direitos autorais protegidos por lei. É permitida a sua reprodução sem alterações desde que sejam colocados o nome da autora e o link para a webpage da BitCão.

 

Faça o download gratuito do e-book Como evitar brigas com um novo cachorro em casa e descubra as técnicas, dicas e dúvidas frequentes sobre introduzir um novo cachorro na família.

 

Leia também:
Pode brincar de cabo-de-guerra com o cachorro?
Pet Corrector: Educa o cachorro de forma instintiva

 

Deixe um comentário 1180 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1.180 comentários em “Como evitar brigas com um novo cachorro em casa”

  1. Bruna disse:

    Boa tarde!
    Temos um Border Collie (macho) de 2 anos, e adotamos um labrador de 6 meses (macho), apresentamos eles em um lugar tranquilo, soltos, um cheirou o outro, mas eles não estão se dando nada bem, quando o labrador aproxima dos donos o border collie ja ataca, ou se o labrador pega algum objeto dele o outro ataca também… O labrador late muito pra ele, as vezes parece que um esta com medo do outro eles se retraem ou partem pra briga pra se defenderem, enfim, esta uma confusão. O que é mais indicado fazer neste caso?
    Obrigada!

    1. BitCão BitCão disse:

      bruna, não sabemos há quanto tempo os dois estão convivendo – essa é uma informação importante, mas raramente adaptação é imediata, pode levar semanas. também não sabemos se são castrados. nossa sugestão é que vc peça avaliação presencial de um especialista em comportamento animal.

  2. Arthur disse:

    Ótimo artigo, eu sempre fiquei com dúvidas em relação a algumas coisas na hora de criar meu caozinho. Me ajudou muito, obrigado <3

  3. André Mendes disse:

    Olá ,tenho um rottweiler de 5 anos , e ontem peguei um Border Collie , e eles não estão se dando muito bem . Quando o Border chega perto de mim o Rottweiler estranha e tenta atacar , e quando o Border tenta brincar com ele , ele acaba não gostando e tenta atacar também . Quero uma ajuda por favor

    1. BitCão BitCão disse:

      andré, não sabemos como foi a apresentação dos peludos, mas asseguramos que um dia não é nada na adaptação de dois cães. O border é filhote ou adulto?

  4. Juliana Aparecida Ramos disse:

    Olá! Preciso de ajuda tenho 8 cães todos são Boxer, sendo que todos pertencem a mesma linhagem. sendo da primeira cruza 2, um macho e uma fêmea ambos de 3 anos.
    Desse casal de 3 anos, tivemos outra linhagem onde deram 4 filhos, sendo 3 fêmeas e 1 macho ambos de 8 meses.
    Os avos, tem macho 7 anos e fêmea 6 anos, estes são super tranquilos e dóceis.
    o grande problema esta entre uma das fêmeas da 2 linhagem com o pai.
    O pai esse de 3 anos é castrado, e logo depois da castração, ficou temperamental, ou seja, se estranha com o filho e uma das filhas.
    Toda vez em que o pai chega no ambiente onde esta a filha, eles se estranham, e com isso, gera uma confusão generalizada, onde entra na confusão, a fêmea que a mãe de 3 anos, ataca todo mundo, junto com uma das filhas fêmea de 8 meses, o restante se afasta, e o “alfa” que seria o avô, as vezes consegue colocar ordem, mas a maioria das vezes são nos que entra no meio e separa a confusão.
    Todos são super dóceis com os membros da família, eles não modem e não estranham ninguém, aceita a separação numa boa. (mas é certo intervir dessa forma)?
    Sinceramente, não sei mais o que fazer, pois quando juntos mas seguros pela coleiras se respeitam e se toleram, e ficam numa boa. Mas soltos, o risco de confusão é serio. estamos lendo a respeito, colocando ações em praticas, mas sinceramente não temos segurança nos nosso atos.
    Poderia nos Ajudar?

    1. BitCão BitCão disse:

      juliana, numa situação assim, o ideal é chamar um especialista em comportamento animal para avaliar presencialmente a matilha. Infelizmente não temos como ajudar.

  5. Pamela disse:

    Oi! Tenho dois cães (porte grande) mais velhos em casa, sendo ambos de sexo oposto. Mas, recentemente, minha antiga cadela (porte médio) veio morar comigo também. Aparentemente, ela e o macho não se estranharam. Mas ela e a outra fêmea, não se deram bem. O que devo fazer? Uma rosna para a outra e não consigo levar a mais velha para passear, porque ela é pesada e inquieta (Labrador kkkkk). Tem outras técnicas para adaptar os 3 juntos? Em dias de semana, ninguém para em casa. Mas não posso deixar a mais nova presa na calçada.

    1. BitCão BitCão disse:

      pamela, existem muitas variáveis – elas são castradas? como vc fez a apresentação? para passear com tranquilidade, experimente a easy walk

  6. Henrique disse:

    Olá, tenho uma Pit Bull fêmea de 8 anos, e esses dias adotei uma Pitbull fêmea de uns 2 anos , isso já fazem 4 dias , como faço para as duas se darem bem?? Obg

    1. BitCão BitCão disse:

      henrique, cada cão tem um tempo para se adaptar. não sabemos como vc fez a apresentação das duas, o que é bem importante. escreva novamente dando detalhes, por favor.

  7. Rolf disse:

    Olá, tudo bem? Eu tenho dois dogs de que são uma mistura de rottweiler com boxer, a mãe tem 3 anos e meio e o filhote 2, porém o filhote ataca a mãe frequentemente, e agora que a mãe esta no cio, ele aumentou muito os ataques a mãe, me obriguei a por ele no canil, mas me corta o coração ver ele chorando pra sair, mas não tenho outra saída! O que será que posso fazer? Assim que passar o cio da mãe, vou ser obrigado a castrar ela, castrando o macho, ameniza os ataques também? Obrigado pela atenção.

    1. BitCão BitCão disse:

      rolf, não temos como opiniar precisamente sem conhecer todo o histórico dos cães – castrar ajuda, sim, mas o resultado não é imediato. O ideal é vc pedir a opinião presencial de um especialista em comportamento, que poderá observar quais os gatilhos da agressão.

  8. Nayara disse:

    Bom dia, tenho uma american staffordshire de 1 ano e 3 meses, peguei ontem um macho da mesma raça porém a aceitação não foi boa. Não fizemos a apresentação em local neutro, já tentamos deixar junto porém a mais velha sempre tenta atacar e tenho medo de acabar ferindo o filhote o que me aconselha? Estamos deixando a mais velha solta e o filhote no canil o problema está sendo quando chegamos perto do filhote ela não aceita e começa a latir e querer atacar.

    1. BitCão BitCão disse:

      nayara, um dia é nada na adaptação de dois cães. A sua mais velha foi bem socializada? Vá aos poucos tentando a aproximação, mantendo sua cachorra mais velha na guia e, se ela for adestrada, usando comandos como senta e fica para que ela não parta para cima do caçula. Faça de tudo para que ela se sinta segura e não veja o mais novo como ameaça ao ‘reino’ que ela construiu. Observe mais uns dias e, se não houver melhora, chame um especialista para avaliar o perfil da sua cadela. esperamos que não seja o caso, mas alguns cães não aceitam outros de jeito nenhum. Até lá, não os deixe sozinhos sem supervisão.

  9. Vane disse:

    Olá, peguei um filhotinho e tenho uma cachorra de 12 anos, a apresentação foi no local onde pegamos a filhote e depois levamos num parque, para então trazer em casa, porém no início ela brincou um pouco com a filhote mas agora ela tenta atacar quando ela chega perto e quer ficar bem longe dela, além disso, não para de fazer xixi ao redor da casa, estou fazendo bastante carinho nela dando atenção, já estou 5 dias nessa situação, será que tem possibilidade delas darem certo?

    1. BitCão BitCão disse:

      vane, é possível, sim! 5 dias é pouco tempo para a adaptação – tente sempre associar a presença do filhote a coisas boas, como carinhos e petiscos.

  10. Olivia disse:

    tenho uma pastor alemão de 11 anos e acabei adotando uma que estava na rua de casa (os antigos donos abandonaram e antes provavelmente eram negligentes porque ela está mal cuidada), simplesmente deixei a novata entrar em casa, não sei a raça ou idade dela, presumo que tenha de três a cinco anos e seja uma maltês. Elas não se deram bem, a diferença de tamanho me deixa apreensiva porque tenho medo da pastor alemão machucar de verdade a menor. Separei as duas prendendo a cachorra nova na lavandaria, elas se cheiram e as vezes latem uma para a outra, foi o primeiro dia. Alguma dica?

    1. BitCão BitCão disse:

      olívia, parabéns pela atitude. O ideal seria ter feito a apresentação em território neutro. Tente, a partir de agora, a técnica do passeio com as duas. O melhor é que duas pessoas saiam na caminhada, uma conduzindo a pastora, mais à frente, e outra a recém-chegada. Quando todo mundo já estiver um pouco cansado e aceitando a proximidade do novo cão, é hora de deixar que elas se cheirem. Um monte de carinhos e petiscos ajudam a dar uma sensação de bem-estar entre os peludos. Vá observando a reação delas, e se não funcionar, melhor será pedir ajuda a um especialista que possa avaliar o caso pessoalmente. É importante que elas sejam castradas, também, para evitar brigas por território. Boa sorte. 🙂

  11. Rafael disse:

    Ola boa noite Tenho um rottweiler macho de e anos !!
    E essa semana vai chegar um outro rott de 2 anos sera q vou ter problemas com adpitacao?
    Oq esta em casa é bem tranquilo mais nao sei qual sera sua reacao com a chegada do outro.

    1. BitCão BitCão disse:

      rafael, apresente os rapazes em território neutro, como sugerimos no texto, e lembre-se de castrá-los para evitar brigas mais para frente. Boa sorte!

  12. Schirley disse:

    Olá, boa noite!
    Eu tenho 3 idosos de 13 anos, irmãos da mesma cria, muito pequenos e SRD.
    Nesta quinta-feira, 09/08/2018, adorei uma cadela RSD, de em média 1 ano, médio porte, que viveu na porta de uma escola até mês passado qdo foi para um LT. Eu quero ficar com ela. É boazinha, obediente e não tem traumas, medos.
    Apesar disso, eu estou com medo, pois a minha idosinha está bem amuada desde a chegada da Moana.
    Como eu devo agir para manter a paz entre eles?
    Muito agradecida!

    1. BitCão BitCão disse:

      schirley, cada cão tem um tempo para se acostumar (ou não) com outro. O ideal é fazer as apresentações em território neutro – não sabemos se foi possível – e dar todos os privilégios para os bichinhos que já estavam na casa. Dê toda a atenção para sua cadelinha mais velha, separe vasilhas, alimente-a antes da Moana e faça de tudo para que ela se sinta segura com a chegada da mais nova.

  13. Camila disse:

    Tenho um Pit Bull de 4 anos e um vira lata porte grande de 5 anos os dois machos sempre viveram em harmonia mas na última semana começaram a brigar, na primeira briga eu separei eles com água, já na segunda nada separavam eles, com muito custo consegui separar e os dois já estavam bastante machucados, foi muito desesperador. Daí então resolvi deixá-los separados por medo de brigarem novamente. Um fica dentro de casa e outro no quintal. Já fazem 4 dias que estão separados. Não sei oque eu faço para reaproximar eles tenho muito medo de brigarem novamente. E se brigarem não sei como conseguiria separar. Já fui recomendada a castrar eles mas estou sem condições no momento. Alguma coisa que possa me ajudar?

    1. BitCão BitCão disse:

      camila, realmente a castração é indicada, mas não vai resolver o problema de uma hora para outra. Separados, vão acabar criando territórios e a confusão pode ser ainda maior. O melhor é buscar ajuda profissional com um especialista em comportamento que possa avaliar os animais pessoalmente.

  14. Débora disse:

    Tenho um vira lata macho de 2 anos e agora quero pegar um outro macho que foi abandonado na rua onde moro, porem meu cachorro e muito ciumento, como posso fazer para que o meu cachorro não brigue com o novo ? Obs: os dois são machos e vira latas

    1. BitCão BitCão disse:

      débora, primeiro, ideal é castrar os dois. Segundo, siga nossas dicas para apresentá-los em território neutro e dar todas as regalias para que o mais velho se sinta seguro, mesmo com a chegada de mais um membro na família.

  15. Renan Silva disse:

    Olá tenho um pit bull e 10 meses e trouxe uma cachorrinha da raça yorkshire ontem pra casa
    Eles não se deram bem
    Pois o ambos latem um pro outro
    A minha cadela tá presa no quarto pois estou com medo de solta ela.
    Oq eu faço?

    1. BitCão BitCão disse:

      renan, um dia não é absolutamente nada para dois animais se acostumarem com uma nova rotina. Vá fazendo a socialização com calma e só as deixe juntas quando tiver certeza absoluta que estão se dando bem.

  16. Marilia disse:

    Estou muito tentada a adquirir dois filhotes machos de schnauzer, ja que o meu barbudinho morreu mas tenho lido que dois filhotes ao mesmo tempo em casa e uma pessima ideia para ambos. Essa regra vale mesmo ja tendo um adulto em casa? (Tenho um pequines adulto que e um anjo e adora socializar com outros caes)

    1. BitCão BitCão disse:

      marilia, dois filhotes podem se divertir um bocado 🙂
      vale a pena você se informar sobre a castração dos peludos para evitar brigas quando eles atingirem a maturidade sexual.
      sorte seu pequinês ser boa praça – faça as apresentações com cuidado e boa sorte com a galerinha!

  17. Thais disse:

    Olá! Tenho 5 cães em casa. Há 2 semanas chegou o mais novo membro, um filhote de Golden. O problema é que ele encanou com a Yorkshire que tenho em casa. Ele quer brincar, morder, mas ja com 2 meses (filhotinho) ja esta machucando ela, fico imaginando qdo for maior. Como posso ensinar de que nao deve brincar assim com ela?

    1. BitCão BitCão disse:

      thaís, filhotes são estabanados por natureza e, desde o começo, é preciso colocar limites, ensinando o comando ‘não’. Providencie um local para sua york ficar sossegada e, se necessário, mantenha o golden na guia quando ele exagerar nas brincadeiras.

  18. Tenho um Cocker Spaniel adulto, velinho já, 12 anos! e recentemente adquiri um filhote de American Staffordshire, o Cocker sempre foi o único cachorro da casa, então está oprimindo bastante o filhote, e tenho inclusive medo de deixar os dois sozinhos pois o adulto pode matar o filhote, mas meu medo aumenta mais quando o filhote crescer, pois esse papel pode se imverter facilmente, será que até o filhote crescer eles acabam se acertando?

    1. BitCão BitCão disse:

      Wolney, não há como prever, já que tudo depende do temperamento do caçula.

  19. Matheus disse:

    Tenho um poodle de 4 anos e a uns 2 meses comprei um filhote de Pit Bull, ele tem 3 meses. Não sabia que deveria levá-los em um lugar, simplesmente quando acabei as vacinas do Pit Bull levei ele para conhecer o poodle. O problema é que o poodle não tem paciência e uma vez ou outro ele rosna para o filhote, mas o filhote só vai para cima dele para brincar, mas ele sai fora. O filhote se dá bem com outros cachorros, mas o poodle é meio agressivo com ele, não tolerando as brincadeiras. Oque posso fazer ?

    1. BitCão BitCão disse:

      matheus, tente a técnica das caminhadas com a dupla, deve funcionar

  20. Emmely disse:

    Tenho uma Pinscher de 4 anos e meio e uma Pastora Suíça de 2 anos e meio, Quando a pastora chegou, as duas se davam muito bem. Eu saía para passear com elas e meus filhos na praia, sem problemas maaasss um dia a pinscher latiu e a Pastora deu uma mordida na pequena. Desde então a pastora quase matou a pinscher 2 vezes. Ontem eu trouxe um filhote macho de pastor alemão. Apresentei, brinquei mas a pastora quis mordê-lo. Hoje eu prendi ela na coleira, dei um passeio mas ela não tirava os olhos do filhote. Ele, tadinho, estava ansioso para brincar mas ela, doida para morder ele. A pinscher está normal com o filhote…
    Pensei em dar a Pastora Suíça porém entrei em contato com um adestrador que me disse haver esperança. O que vocês acham? Ambas cadelas são uns amores conosco e com outros cães… parte meu coração a situação.

    1. BitCão BitCão disse:

      emmely, que ótimo que vc terá ajuda de um adestrador – é uma situação com a qual não podemos colaborar virtualmente, sem conhecer os animais pessoalmente e o contexto. Só uma pergunta: a turma toda é castrada?

      1. Emmely disse:

        Não mas já fomos ao veterinário marcar a castração.

  21. Jessica Felix disse:

    Tenho um pitbull misturado com vira lata e agora uma shitzu quase a mesma idade as duas fêmeas, soltei a shitzu no quintal pra pode brincar com a outra cachorra, ate agora as duas estão cada uma no seu canto.
    gostaria de saber se devo me preocupar de deixa as duas sozinhas ?

    1. BitCão BitCão disse:

      jessica, só deixe os animais a sós quando tiver certeza absoluta da harmonia entre eles.

  22. Adriano disse:

    Tenho um cachorro de medio porte com mistura de boxer, e chegou um vira lata adulto.. ambos sao adultos .. so que eles so brigam.. ja tentei passear, agradar os dois.. trocar eles de lugar para cada um comer a comida do outro, so que qndo cheo perto os dois brigam.. oq fazer?

    1. BitCão BitCão disse:

      adriano, se você já fez todas as tentativas e não deu certo, recomendamos que você contrate um especialista em comportamento animal para avaliação presencial.

  23. Samy disse:

    Tenho Bull inglês de 3 anos (macho) mimado, dominante, sempre fiz questão de socializar com outros cachorros, quando vê alguns ele brinca, se diverte eh feliz, e tem poucos que não bate a energia… então decidir ter uma bull fêmea (5meses) femea e trouxe pra casa à noite, nem sabia desta tal socialização lugar neuro, quando ela chegou eu apresentei ele estranhou, mas pulou, rosnou e ficaram brincando horas de mordidinha, na hora de dormir levei tudo pra minha cama, o macho se posicionar perto de mim e não deixava a pequena fêmea chegar, e duas vezes rosnou feio quando ela tentou e na mesma hora corrigi. Noutro dia levei pra rua numa gramado lado de casa, ambos soltos brincaram e pátio tb, tive que sai a tarde e deixei eles em casa sozinhos, quando cheguei o macho estava n andar de cima e a fêmea em baixo, coco e xixi por tudo, o macho está na dele evitando agora a chegada da fêmea, rosnando feio e fugindo, num momento de brincadeira com a fêmea com cordinha ele veio se meter, pegou o brinquedo dele e quis que eu brocasse com ele e toda hora que a fêmea chegava ele rosnava feio até que uma hora ele mordeu 🙁 corrigi com um tapinha na fuça e botei ele de castigo em cima do sofá que ele ama ficar, eh alto e a pequena não sobe, resumindo, não sei que fazer na hora dormir, se deixo juto cada um num lado, e o que faço pra eles ficarem de boa, agora estou Cabreira deixar só, ah detalhe a fêmea eh muito de boa, solubmissa, quando chego perto de deita no chão, vive lambendo eu e ele… desculpe o texto enorme

    1. BitCão BitCão disse:

      Samy, não sabemos há quanto tempo eles estão juntos, o que faz diferença na avaliação, mas em linhas gerais, nossa recomendação é que vc saia com eles para passear na rua, se a caçula já estiver vacinada, e vá monitorando em casa. Deixe que eles s entendam, mas não os deixe juntos quando não houver alguém supervisionando. Na hora de dormir, vc pode colocar a fêmea presa em uma guia, com a caminha pertinho do pé da cama.
      A tendência é que eles se entendam e parem de brigar.

  24. Karine disse:

    Tenho um iaza apso em casa e vou adotar um cãozinho que estava sendo mal cuidado e vivia preso e um cachorro vira lata de pequeno porte os dois são macho. Que recomendações você poderia me dar pra me ajudar a fazer com que eles se dêem bem?

    1. BitCão BitCão disse:

      karine, primeiro fazer as apresentações em território neutro ou usando a técnica da caminhada, como sugerimos no post. Segundo, é importante castrar todos eles, ok? boa sorte