Voltar para os artigos

Como melhorar o comportamento de um cachorro destruidor

comportamento-de-um-cachorro-destruidor-blog-bitcao

Mastigar, brincar, explorar e investigar o ambiente são comportamentos normais para cães. O problema é quando a “boquinha nervosa” de um cachorro destruidor ataca a casa e objetos dos donos – muitos se desfazem dos seus animais ou os deixam largados no quintal, alegando que não sabem se comportar, e isso só aumenta o problema.

O comportamento destrutivo é uma reclamação frequente e, por sinal, há quem acredite que o cachorro comeu a sandália ou roeu os pés da cadeira para se vingar de ter passado o dia sozinho enquanto o dono trabalha, por exemplo. Não é nada disso. Normalmente é uma tentativa de aliviar a ansiedade ou a válvula de escape para o excesso de energia. Enquanto os humanos roem as unhas ou tomam uma cerveja para aliviar a tensão, cães tendem a mastigar objetos, se lamber excessivamente ou até desenvolverem depressão. O comportamento destrutivo pode ter várias causas, e é necessária uma análise cuidadosa da história do cachorro destruidor e do ambiente para identificar a origem do problema – só assim é possível trabalhar para mudar o comportamento do patudo.

CACHORRO DESTRUIDOR: CAUSAS DO COMPORTAMENTO DESTRUTIVO

Troca dos dentes
O processo, que ocorre entre os três e seis meses de vida, é muito incômodo para o animal, que vai tentar aliviar a coceira roendo coisas. O comportamento geralmente cessa depois que os dentes permanentes aparecem.

Ansiedade de separação
Esta é uma das causas mais comuns do comportamento destrutivo em cães, particularmente daqueles que vêm de abrigos ou da rua. Os cães com ansiedade de separação tendem a apresentar comportamentos que refletem um forte apego aos seus donos, seguindo-os por toda parte, quase enlouquecendo quando seus humanos chegam em casa e mostrando-se arrasados quando ficam sozinhos.

Mudanças nos horários que obrigam o cão a ficar mais tempo sozinho, a morte ou perda de outro animal de estimação ou um período longe dos donos – férias, por exemplo – podem acentuar o problema. O peludo passa a latir demais, a fazer bagunça, destruir a casa por pura ansiedade, e castigá-lo só piora as coisas. É necessário usar técnicas de dessensibilização para ajudar o bichinho (falamos sobre isso aqui).

Medos e fobias
Cães que têm pânico de tempestade e ruídos altos podem tentar fugir do local onde estão, e não pouparão portas, molduras de portas, guarnições de janela e nem paredes. Além de sofrido demais para o bicho, ele pode se machucar seriamente.

Isolamento social ou tédio
Se os cães não têm oportunidade de interação social com seus donos ou outros animais, e nem mesmo brinquedos para chamar de seus, podem se divertir com o que acharem pela frente: seu tênis, aquele cashmere que custou uma grana ou o sofá dos sonhos que nem foi pago ainda.

Chamar atenção
Sem perceber, os donos acabam dando atenção ao cachorro destruidor quando o repreende após alguma “infração”. Uma bronca é melhor do que ser ignorado.

Comportamento do jogo
Muitos donos “ensinam” seus peludos a serem destruidores, ainda mais os filhotes. Eles roubam um sapato e o humano sai correndo para recuperá-lo, ou acham engraçadinho quando o pequeno meliante faz um buraco no gramado. Sem perceber, estão reforçando comportamentos indesejados.

Comportamento investigativo
Cachorros adoram “investigar” novos locais e objetos, mas obviamente de formas diferentes dos humanos. A boca, por sinal, é essencial neste processo – que o digam os retrievers e filhotes, que adoram buscar e transportar coisas… com suas boquinhas repletas de dentes afiados.

Punição inapropriada
Punição excessiva por mau comportamento pode despertar ansiedade associada à presença do dono. Ele “sabe” que fez coisas erradas e vai levar bronca, e apronta mais ainda para aliviar a ansiedade.

Problemas médicos
Irritação gastrointestinal superior, dor de dente ou na gengiva podem causar mastigação destrutiva em cães adultos. Algumas doenças podem causar fome excessiva (polifagia) ou a tendência a ingestão de itens não-alimentares (Pica). Consulte o seu veterinário se suspeitar desses problemas.

Rotinas de alimentação inconsistentes
Um cão com fome pode destruir a casa à procura de comida.

Frustrações da barreira
Alguns cães tornam-se ansiosos e, portanto, destrutivos, quando confinados em pequenas áreas, como caixas de transporte ou quartos pequenos (banheiro, lavanderia). Isso pode estar associado à ansiedade de separação.

Comportamento predatório
O peludo pode destruir portas, pisos e até paredes atrás de presas como roedores.

São inúmeros os problemas que podem resultar em comportamento destrutivo, e cada caso deve ser analisado com carinho. A punição não é a saída, pelo contrário: pode agravar casos de ansiedade e tornar o animal medroso. Broncas só funcionam quando o peludo é pego no “flagra”. De nada adianta chegar em casa no final do dia e brigar com o bicho que destruiu o sofá às oito da manhã. Ele não se lembra!

Para ter um cão bem-comportado é preciso exercitá-lo com regularidade. Não adianta uma voltinha na esquina de vez em quando para dar vazão a toda a energia que ele acumula. Se o cão for filhote (até aproximadamente 8 meses de vida) ou imaturo, é preciso providenciar um local seguro onde ele possa ficar restrito nas horas em que não houver alguém em casa para supervisioná-lo, ou mesmo durante a noite. Mesmo um “cão de guarda” enquanto é bebê deve ficar protegido de si mesmo durante a noite e quando não está sendo supervisionado, porque os peludinhos costumam fazer muita besteira quando entediados e podem acabar se machucando seriamente. Um cão nunca deve ficar confinado por mais do que quatro horas seguidas a não ser que seja durante a noite e ele esteja dormindo.

Atividades que promovem a interação entre o cão e o dono e que estimulam a cooperação e a obediência são insubstituíveis.

A caixa de brinquedos
Nem todos os cachorros gostam ou demonstram o mesmo grau de interesse por brinquedos. Ter uma boa variedade de formatos e texturas faz com que o peludo possa escolher o que prefere naquele momento. Não tenha medo de experimentar um novo brinquedo, pois eles são sempre mais baratos do que os danos causados nos objetos da casa.

Manter todos os brinquedos em um mesmo local, de preferência dentro de uma caixa onde o cão tem fácil acesso, ajuda a condicionar o peludo a buscar as coisas com as quais ele pode brincar sempre no mesmo lugar e não ficar catando o que encontra pelo caminho e que pode não ser adequado. Se você tem vários cães na casa, talvez seja preciso ter uma variedade maior de brinquedos e, se os bichos forem de tamanhos muito diferentes, é melhor escolher sempre os brinquedos de acordo com o tamanho e a força do maior cão da sua matilha.

Seja paciente com seu peludo, corrija quando necessário e lembre-se: faz parte da experiência de ter cães ter um só pé de chinelo e um sofá meio detonado. Com o tempo, tudo se ajeita, e certamente você sentirá saudades das “aprontadas”.

 

Cláudia Pizzolatto e Regina Ramoska
Fonte: MSPCA-Angell

Leia também:
Você está preparado para ter um cachorro?
Seu cachorro não merece um mundo cão
O que o seu cachorro precisa para ser feliz
Cachorro que gosta de roer
Repelir para não afastar
Cachorros precisam roer coisas, mas não destruir


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz