Voltar para os artigos

Dentes limpos, saúde em dia e beijo gostoso!

escovar os dentes do cachorro

A pequena San, uma vira-latinha mais que doce, passou a ter um comportamento diferente: comia pouco, mexia a boca como se estivesse mascando chiclete, colocava a língua para fora com frequência, incomodada. O hálito, mais para bafo de onça, também anunciava que vinha encrenca por aí, e não deu outra: foi necessária uma faxina pesada nos dentes, tipo aquelas que a gente faz em casa perto do Natal.

San poderia estar com a dentadura nos trinques e com todos os seus dentes – sim, três estavam tão estragados que foram extraídos na profilaxia – se os seus donos tivessem adotado um hábito básico e essencial para a saúde da peludinha: escovar os dentes do cachorro. Mas, sabe como é? San é toda dengosa, parece uma filhotinha apesar dos seis anos, não gosta e blábláblá… Doutor vet derrubou todas as desculpas, implacável: sem cuidados frequentes, em breve ela poderá perder mais dentes.

Como os pequenos humanos, cães têm dentes de leite. São 28. Entre três e quatro meses nascem os definitivos, na maioria das raças 42. Por volta dos sete meses, a “dentadura” está novinha em folha. O ideal, porém, é que você acostume seu peludo à escovação desde pequeno – acredite, isso facilita muito!

A falta de escovação contribui para o aparecimento da placa bacteriana, culpada pelo mau hálito e pela gengivite – uma reação inflamatória da gengiva em contato com a placa. Com o passar do tempo, a placa capta minerais (como o cálcio) da saliva e vai grudando e endurecendo sobre os dentes. É o tártaro, aquela crosta amarelo-amarronzada visível principalmente nos caninos e molares.

A gengivite pode se agravar e levar à retração gengival e a periodontite, que compromete a sustentação dos dentes. Foi o que aconteceu com a pequena San. Com o dente mole e dor, ela passou a evitar a alimentação. Convenhamos, como é que o peludo vai mastigar com a boca latejando?

O tártaro e a periodontite também abrem espaço para que as bactérias caiam na circulação sanguínea, podendo comprometer órgãos como coração, rins e fígado e até as articulações. Os dentes ficam tão “estragados” que única saída é a extração. A essa altura do texto, você já deve estar em pânico, procurando escova e pasta dental para dar aquela geral na boca do seu amigão. Muita calma nesta hora!! A gengiva dos nossos queridos é delicada e sensível, e o ideal é usar uma escova própria para cães – mesmo caso da pasta dental. O flúor e os componentes da pasta dental humana podem irritar o estômago dos animais. Por mais ensinado que o bicho seja, não vai cuspir a pasta como nós, né?

Antes de partir para a escovação de verdade, é preciso acostumar o seu animal com a manipulação. Use o comando DEIXA VER e comece a mexer no focinho, na bochecha, inserindo levemente seu dedo na boca do bichão e massageando as gengivas. Se ele se comportar bem, elogie muito e recompense-o com guloseimas (próprias para cães, hein?). Mas não o force neste primeiro momento: se ele resistir, tente de novo algum tempo depois – veja o passo a passo abaixo.

 

COMO ESCOVAR OS DENTES DO CACHORRO

1. Escolha um local calmo, sem distrações e um horário tranquilo para você e para o peludão. Nada de querer fazer as coisas com pressa.

2. Deixe o cão se acostumar aos poucos com esta história nova. Durante os três primeiros dias apenas ofereça um pouquinho da pasta de dentes no dedo e deixe o peludo lamber à vontade. Aproveite para fazer um cafuné no bichão.

3. Nos próximos cinco dias coloque um pouquinho da pasta no seu dedo, acomode o bichão no seu colo ou na posição preferida dele para receber carinhos, e massageie o seu dedo na gengiva dele por uns cinco segundos. Não use a dedeira ainda, nem é preciso “escovar” toda a arcada. Comece apenas nos dentes da frente ou numa das laterais da boca. Observe o ponto que o seu cão fica mais relutante em deixar escovar e a cada dia dedique um segundo a mais justamente lá. Termine a massagem da gengiva sempre no ponto da boca que ele fica mais relaxado. Ao final desta breve seção faça bastante carinho e ofereça um pouquinho de água para nosso amigão.

4. É hora de introduzir a dedeira de borracha: repita o programa de cinco dias como foi descrito no item 3.

5. Você já está trabalhando há 13 dias neste intensivão e deve ter conquistado alguns progressos. Se o seu peludo já aceita bem a escovação, vá em frente e trabalhe a boca toda, pelo menos duas vezes por semana. Se vocês ainda precisam de algum tempo para se adaptar ao ritual da escovação, procure dividir a tarefa em duas etapas. Escove metade da boca primeiro, e então libere o peludo para brincar ou fazer qualquer outra coisa. Em outra hora do dia que vocês estejam relaxados novamente, aproveite para escovar a metade que ficou faltando. Mantenha este esquema até o seu animal começar a aceitar a escovação com naturalidade.

6. Enquanto o seu cão estiver se acostumando a ter os dentes escovados, tenha o cuidado de parar a sessão antes de ele ficar irritado e irrequieto. Se ele desconfiar que dando chilique se livra da escova de dentes, vai ficar cada dia mais difícil tratar da boca do bichão.

7. Escove sempre de uma maneira bem gentil e sem fazer força contra a gengiva de seu peludo.

8. Faça movimentos circulares lentos e certifique-se de massagear a linha da gengiva, além da parede dos dentes.

9. Capriche no fundo da boca e nos caninos, pois é lá que as placas se formam mais frequentemente. Também não se preocupe em escovar os dentes pelo lado de dentro da boca do bichão, pois as placas e o tártaro normalmente se aderem na face externa.

10. Use uma porção pequena da pasta de dentes para cada lado da boca o seu bichão.

11. Sempre termine cada sessão fazendo um belo carinho no seu peludo.

12. Não deixe de escovar os dentes do cachorro pelo menos duas vezes por semana.

 

Ao ensinar o seu cão a relaxar e deixar ter seus dentes escovados e a gengiva massageada, você estará contribuindo para que ele tenha uma vida mais saudável, mas também estará desenvolvendo um importante trabalhado na educação e na relação de vocês dois. Relaxar e deixar o dono “esfregar” a boca é um sinal de confiança e de submissão (no bom sentido). Este ritual ajuda a você manter o seu papel de líder, e se for executado de forma correta, diminui as chances do seu peludo se tornar agressivo e fora do controle sempre que tiver que ser examinado, contido ou manipulado.

Se começarmos a educar um filhote com apenas 60 dias de vida é fisicamente muito mais fácil de segurá-lo na posição correta e de controlar qualquer tentativa de não se deixar submeter. Com calma e firmeza, ao escovarmos os dentes do peludo, estamos passando uma mensagem para ele de que somos fisicamente mais fortes (em se tratando de certas raças deixará de ser verdade em muito pouco tempo, mas o peludo nunca vai saber disso),que somos “autoritários” como os bons líderes devem ser, mas ambém confiáveis, pois não iremos machucá-lo.

Se for realmente difícil escovar os dentes do cachorro filhote, mesmo seguindo todas as nossas orientações, é provável que você precise de um profissional para ajudar a avaliar os possíveis desdobramentos deste comportamento no futuro, traçando um plano para evitar que o cão se torne fonte de medo, intimidação ou tristeza para a família.
Ao permitir a escovação dos dentes, o cachorro vai se tornando cada vez mais relaxado quando precisar ser manipulado pelo veterinário, ou pelo tosador, sem falar pelo próprio dono. Ficar calmo, sem se debater, com confiança nas pessoas que estão fazendo a limpeza de seus dentes, facilita muito a vida do peludo e de todo mundo também. Ajuda, também, a prevenir dores e doenças.

Outra opção, que pode ser muito útil se o seu bicho faz a linha tigrão, bravo a toda prova, ou se você realmente não está disposto a encarar essa rotina, é o Plaque Off. O produto, à base de algas marinhas, altera o ph da saliva quebrando o filme da placa bacteriana que permite que ela se acumule e forme o tártaro. As placas já existentes nos dentes se tornam porosas e vão se desprendendo aos poucos ou ficando bem mais “macias” e fáceis de remover. Plaque Off age de forma sistêmica e, portanto, atua em toda a boca, não importando o quão difícil é de alcançar o lugar onde a placa ou o tártaro se fixou. Seguindo as recomendações do fabricante, os resultados na diminuição do hálito e da placa nos dentes do cão já podem ser percebidos entre três e oito semanas, em geral, mas os donos dos peludos dizem que já sentem diferença no bafo em duas semanas. A redução da placa acontece, normalmente, entre oito e 12 semanas. Cães com grande quantidade de tártaro e cálculos nos dentes podem vir a precisar de uma limpeza adicional pelo veterinário para conseguir removê-los completamente.

Com esses cuidados, ainda mais se o seu peludo for daqueles que adora dar lambidas, o beijo ficará bem mais agradável. 🙂

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz