Voltar para os artigos

Nem sempre o problema do gato é falta de educação

Gato mau comportado

A vida de dono de gato é maravilhosa – bichanos são muito companheiros, amorosos e dão menos trabalho que os cães, já que não demandam passeios diários na rua, nem tantas idas ao petshop. Por outro lado, gatinhos também podem apresentar problemas comportamentais – confira os mais comuns.

O gato fala demais

Você finalmente adormeceu quando, de repente, ouve seu gato miando ou chorando a plenos pulmões – um comportamento normal na maioria das vezes, especialmente em raças mais ‘falantes’ como os siameses, mas que pode sinalizar senilidade ou problemas de saúde. Se o seu gato não é idoso e nem conversador por natureza, ofereça opções de entretenimento como brinquedos interativos para que ele arrume o que fazer enquanto você descansa ou tente exercitá-lo bastante durante o dia.

Se você sentir que a senilidade é a principal razão para a vocalização, converse com o veterinário sobre suplementos, medicamentos, feromônios, dietas especiais e outras opções para ajudá-lo.

Se o seu gato mia e uiva durante o dia, fique alerta. Gatos que choram ao usar a caixa de areia podem estar sentindo dor ao urinar ou defecar – procure o veterinário com urgência.

Outro motivo para miados insistentes é a necessidade de atenção, de comida ou quando ele quer ir para a rua – falamos sobre isso aqui. Muitos gatos se habituam a passear com coleiras e curtem um bocado a vida ao ar livre, sempre em segurança.

Vale lembrar que nossos amados peludinhos são craques em nos treinar, ou seja, se cada vez que ele mia com mais insistência você para o que está fazendo para alimentá-lo, dar carinho ou abrir a porta, a tendência é que ele o transforme em escravo. 😊

Mudanças na ‘voz’ do gato também podem sinalizar que ele ‘chorou’ por um período prolongado, alguma irritação na garganta ou doenças como vermes pulmonares e asma – busque ajuda sem demora.

Aiiiiiiiiii meu sofá!

Gatos arranham para marcar território. Se o seu sofá mais parece uma instalação, com fiapos para todo lado, ou se você não pode circular pela casa em trajes menores porque o felino destruiu as cortinas, ajude-o a redirecionar toda essa energia oferecendo arranhadores ou brinquedos. Experimente várias texturas até descobrir o que mais agrada o seu bigodudo exigente – há os que prefiram carpetes, outros corda ou papelão ondulado. Feromônios produzidos em laboratório também dão bons resultados – eles reproduzem os naturais que os gatos deixam por onde passam, esfregando os rostinhos, e que fazem com que se sintam seguros.

Quem roeu esse fio?

Ao contrário dos cães, gatos não roem tudo o que encontram pela frente, ou ao menos não deveriam. O comportamento mastigatório pode ser devido ao tédio, nascimento dos dentes, por brincadeira, agressão, deficiência nutricional, por ter sido desmamado muito jovem ou simplesmente porque eles gostam da textura ou sabor do item. Certifique-se de que você está oferecendo a melhor alimentação para o seu bichano, se ele não tem problemas dentários ou se não está mastigando alguma coisa por agressividade. Produtos voltados para diminuir o estresse e a ansiedade, como feromônios e suplementos, podem ajudar a melhorar o quadro.

Se o seu gato estiver entediado, ofereça brinquedos seguros e interaja bastante com ele. Se o problema persistir, tente repelentes, elimine ou proteja-o de itens pequenos ou perigosos, como cabos elétricos. Fones de ouvido, por sinal, fascinam os bichanos!

A vingança do xixi

Gatos podem ter uma variedade de problemas urinários. Infecções, inflamação, cálculos, estresse, tumores e outros fatores podem fazer com que os eles urinem fora de sua caixa, borrifem ou até mesmo não consigam urinar. Se um gato está sempre se esforçando e não consegue se aliviar, precisa de cuidados veterinários imediatos. Descartados quaisquer problemas de saúde, a causa pode ser comportamental.

Uma das razões para o xixi fora do lugar é caixa de areia suja – gatos são maníacos por limpeza! – ou em número insuficiente (tenha sempre uma caixa à mais que o número de gatos, ou seja, para um gato, duas caixas, dois gatos, três caixas e assim por diante),o tipo de substrato (uns preferem areia, outros madeira, etc.),o local onde a caixa fica, estresse por mudanças (desde reforma em casa até a entrada ou saída de membros da família, entre outros motivos). Investigue e promova mudanças até eliminar o hábito. É fundamental remover todo o odor dos locais inapropriados, até porque, cá entre nós, o cheiro é insuportável!

Agressão

Nem sempre o problema daquele gato que mais parece onça é “de nascença”. Embora existam bichanos temperamentais, seja com humanos ou com outros animais de estimação, o comportamento pode estar associado ao estresse, dor ou alterações hormonais. Mais uma vez, o primeiro passo é descartar problemas de saúde. Se não houver nada errado, comece a observar que gatilhos transformam seu gato numa fera: ver outros bichanos pela janela, ser atormentado pelo cachorro ou por uma criança, disputa por alimento, etc.

Se livrar do gatilho – fechando a cortina para que ele não enxergue seus desafetos, separando as vasilhas e caixas de areia – seria o melhor dos mundos, mas nem sempre é possível. Feromônios, suplementos, medicamentos e dietas especiais podem ajudar, bem como o enriquecimento ambiental, principalmente com arranhadores e brinquedos.

Lambeduras

Os problemas comportamentais de lambedura crônica nos gatos resultam tipicamente de dor ou stress e ansiedade. Gatos que estão com dor tendem a lamber uma área em seu corpo até que ela fique sem pelos – e nem sempre onde está doendo. Se o seu gato não está com dor, a recomendação é a mesma dos casos de agressividade, ou seja, oferecer elementos que contribuam para diminuir o estresse.

Fonte: The spruce pets

Leia também:

15 curiosidades sobre gatos
Ensine seu gato a ser bem-comportado
Ensine seu gato a passear na rua de coleira

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz