Voltar para os artigos

Passeios no verão? Claro que sim!

passear com cachorro

Os peludos são parceiros perfeitos para cumprir uma das promessas que repetimos em toda a virada de ano (e nem sempre colocamos em prática, hehe): fazer mais exercícios. É difícil encontrar um cãozinho saudável que não se abane todo ao ouvir a palavra mágica – passear – ou que não pule de alegria ao ver o dono pegar a guia.

Quem gosta de longas caminhadas deve se lembrar que o cachorro também precisa estar bem preparado fisicamente antes de iniciar um programa rígido de exercícios. Acostume-o aos poucos, pois como nós, se ele passa o dia todo deitado no sofá vai ter dificuldades de percorrer grandes distâncias de uma só vez. Lembre-se que filhotes se cansam mais rápido e que precisam de muito descanso, e que os velhinhos ou obesos também devem ir mais devagar. Não force o seu cachorro a andar se ele apresentar sinais de exaustão.

Os cães precisam de exercício em qualquer época do ano, mas no verão passear com cachorro requer alguns cuidados especiais, como sair nos horários em que o sol está mais fraquinho. Antigamente a regra era evitar caminhadas entre 10 e 16 horas, mas hoje vale o bom senso: em algumas regiões, o astro rei continua escaldante até o início da noite. Ainda assim, fique atento à temperatura do chão: nossos bichos podem queimar facilmente as almofadas das patas se o asfalto ou a areia estiverem quentes – e, cá entre nós, isso não é nada difícil com o calor que tem feito. No Grande Prêmio de Fórmula 1, em novembro, em São Paulo, a temperatura do ar era 29 graus, enquanto o asfalto da pista de Interlagos batia  os 57! Se na sua região existem locais arborizados, certamente o passeio ficará muito mais agradável para vocês dois.

E se o seu peludo colocar três metros de língua para fora nos primeiros cinco minutos do passeio, não desista! Ao contrário dos humanos, que regulam a temperatura corporal pelo suor, os cães possuem poucas glândulas sudoríparas, e as trocas de calor são feitas pela boca, pelo focinho e também pelas almofadas das patas, portanto quanto mais quente estiver o clima, mais ofegante o animal pode ficar. Isso não quer dizer que ele está cansado – diminua a marcha da caminhada, mas persevere! Borrifadas de água no dorso e nas patinhas também ajudam a refrescar. Ao longo do passeio, observe as patas do seu amigo, que podem ficar machucadas – caso daqueles que andam pouco e moram em apartamento, por exemplo.

Em qualquer estação do ano seu peludo deve ter água à vontade, mas é recomendável que ele só beba ou coma meia hora antes ou depois de se exercitar ou de brincadeiras mais agitadas, evitando uma possível torção gástrica por ingestão. A água deve ser sempre fresca, trocada ao longo do dia e pode inclusive ganhar umas pedrinhas de gelo. O calor também pode diminuir o apetite dos peludos – aiii, que inveja!

Largar o bichão no quintal, ao sol, é problema na certa. Abrigue-o à sombra para não causar hipertermia (aquecimento corporal) por exposição direta ao sol e se possível, faça uso de filtros solares apropriados nos animais (o seu não funciona! Tem de ser de uso veterinário) com pelos curtos e claros e também com pele sensível, incluindo pontas das orelhas e focinhos. Há quem ache que isso é frescura, mas os animais podem ter problemas sérios como lesões, queimaduras graves e até câncer de pele devido à exposição ao sol.

O calor aumenta também as infestações por pulgas e carrapatos, aquelas pestes! Mantenha seu peludo protegido com produtos confiáveis, e observe a periodicidade da aplicação – em geral, duram um mês. Banhos no mínimo quinzenais são bem-vindos, e nem precisamos falar das vacinas e da vermifugação, não é?

Nos passeios de carro, para evitar episódios de vômito, recomenda-se não alimentá-los para percursos mais curtos e diminuir e espaçar a ingestão de alimentos se o trajeto for mais prolongado. Se o seu peludo enjoa demais, verifique com o veterinário se é possível medicá-lo. Mantenha as janelas abertas (cuidando para o bichão não debruçar para fora, claro!) ou ligue o ar condicionado. Pare de vez em quando e ofereça água ao peludão. Nunca, jamais, em tempo algum deixe cachorro no carro fechado nem por poucos minutos, nem que as janelas estejam um pouco abertas – a temperatura dentro de um automóvel pode chegar a 60 graus em poucos minutos num dia quente, levando o animal a óbito.

Sejam quais forem os seus planos para o verão, lembre-se que você é responsável pelos atos do seu animal. Muitos lugares como parques e praias não permitem a entrada de cães, mas outros sim, e para isso permaneça, valem as regras da boa convivência. Mantenha seu cão na coleira, não deixe que ele pule em desconhecidos, nem permita que ele brigue ou persiga outros peludos. Leve sempre com você saquinhos plásticos para recolher o cocô do chão. Com bom senso e atenção, o verão será muito divertido para você e seu peludo!

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz