Voltar para os artigos

Pelos brancos em cães podem sinalizar ansiedade

pelos brancos em cães pode ser sinal de estresse

Não é apenas a genética, mas o estilo de vida que contribui para os cabelos brancos – e isso se aplica também aos peludos. Uma pesquisa realizada pela Northern Illinois University, nos Estados Unidos, concluiu que cães jovens ansiosos ou impulsivos podem ficar prematuramente grisalhos. O estresse contribui para o branqueamento dos pelos na cabeça e ao redor do focinho, e ainda que muitos donos achem um charme, é importante analisar esses sinais para melhorar a qualidade de vida do animal.

Para medir o nível de impulsividade, estresse e ansiedade dos cães, os pesquisadores avaliaram se os peludos destruíam coisas quando ficavam sozinhos em casa, se ficavam agitados quando estavam em grupo e se pulavam nas pessoas. Também fotografaram os 400 participantes da pesquisa para criar uma escala de gradação de cores das pelagens – só patudinhos muito claros ficaram de fora, dada a dificuldade de mensurar quão grisalhos eles estavam.

A pesquisa apontou que fêmeas tendem a ter níveis mais elevados de pelos grisalhos do que machos, mesmo caso de cães que demostram sensibilidade ou medo de ruídos altos e de pessoas.

Dicas antiestresse

A exemplo do que acontece com nós, humanos, a chamada “vida moderna” contribui bastante para o estresse dos animais, sinalizada pelo aparecimento dos pelos brancos, como aponta o estudo. Cães que vivem confinados em pequenos espaços, sem passeios e atividades físicas, que só encontram o dono à noite (cansado e sem pique para interação) podem desenvolver ansiedade, comportamentos destrutivos, entrar em depressão ou se tornarem neuróticos e até agressivos.

É importante incluir o peludo na agenda e enriquecer ao máximo o ambiente nos períodos em que não podemos interagir com eles. Vale lembrar que cães gostam e precisam de rotina – caminhadas no começo e no final da tarde ajudam a desestressar, além de contribuir para a boa forma (deles e nossa). Disponibilize brinquedos de vários tipos e texturas para que o bicho se entretenha na sua ausência, além de um cantinho gostoso para que seja sinônimo de segurança e acolhimento. Os brinquedos interativos, recheáveis e ossos garantem horas de entretenimento e desafiam a mente do peludão, evitando que ele direcione a energia para o que não deve.

Não precisamos passar 24h com nossos peludos para que eles tenham qualidade de vida, mas é fundamental criar um ambiente e uma rotina para que eles sejam felizes – e, claro, nós também.

  • Cláudia Pizzolatto e Regina Ramoska

brinquedos para caes

Leia também:

– Ansiedade de separação: ajude seu bicho
– Como acalmar um cachorro ansioso?
– Dá para educar o filhote passando o dia fora?

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz