Voltar para os artigos

Qual a melhor correção para o seu cachorro

the-mirror-method

Muitos donos de cães e até treinadores, que são os educadores dos cães, ainda utilizam métodos violentos para ensinar as coisas certas para os peludos. É comum vermos como chamariz nos anúncios a frase “Treinamento Sem Castigo”, mas isso muitas vezes não quer dizer sem punições físicas. Existem donos e treinadores que não hesitam em punir o cachorro, às vezes de forma totalmente desproporcional.

 

A primeira questão que nos vem à cabeça é: estes métodos funcionam?

 

A segunda questão é: estes são os melhores métodos? Ou ainda, são necessários?

 

A resposta da primeira é: infelizmente às vezes sim (até por isso foram disseminadas por tanto tempo, por tanta gente).

 

A resposta da segunda é: felizmente, absolutamente não!

 

reypet220714

É fato que hoje em dia, tanto para as crianças quanto para os cães, o método de reforço positivo é o que dá melhor resultados quando se deseja mudar o comportamento. Falando de forma bastante simplificada, neste método o treinador/educador provoca o cachorro a fazer a coisa certa e então recompensa com muito carinho, comida, ou qualquer outra coisa que o agrade bastante. O objetivo é fazê-lo associar o comportamento desejado com a recompensa recebida no treinamento do cão. É claro que correções também são aplicadas, mas não devemos confundir castigo/punição com correção.

 

Um castigo, de acordo com a definição do dicionário, é “uma pena que se aflige a um culpado; punição”. A definição de correção é “dar a forma correta a; endireitar”. Ou seja, castigo é algo mais violento, mais forte, e uma correção é uma orientação, uma sugestão de mudança de rumo.

 

Todo processo de mudança comportamental no treinamento do cão é nada mais do que corrigir os hábitos errados e reforçar os hábitos corretos. Por exemplo, se um cachorro implora comida quando as pessoas estão jantando, não se deve trancá-lo na varanda, pois isto não estará ensinando nada a ele. Deve-se, sim, despender algum tempo corrigindo-o quando pede comida, e recompensando-o quando fica deitado quietinho ao lado da mesa. Como fazer isto? Bem, existem várias maneiras, mas este não é o tema no momento! Queremos aqui é discutir a necessidade de punições físicas para se ensinar um cachorro e qual a melhor maneira de corrigi-lo quando a situação fica realmente preocupante.

 

Bem, vamos ver se você acerta a resposta da nossa pergunta:

 

“Quando o seu cachorro tenta te morder (que situação poderia ser pior do que isso?), qual é melhor maneira de ensinar-lhe uma lição?”

a – Bater

b – Ignorar

c – Deixá-lo sem comer

d – Deixá-lo acorrentado

e – Nenhuma das respostas acima

 

SUSPENSE!!!!! TCHAN TCHAN TCHAN……

 

Acertou quem respondeu a… LETRA E – “nenhuma das respostas acima” !!!

 

523c5b5527045_dog_training1_1

 

Leia mais um pouco que você vai descobrir por que, mas antes precisamos falar um pouco sobre o comportamento dos cães. Como a maioria de vocês já sabe, um cachorro é um animal social. Eles têm o instinto de vida em grupo e suas próprias regras de convívio social.

 

Para os cães a vida em sociedade é a coisa mais importante que eles podem ter. Em grupo eles podem se defender dos perigos, achar comida, acasalar, procriar, etc. Sozinhos eles provavelmente vão morrer mais cedo e não perpetuar a espécie. Brigas e disputas são normais numa matilha, mas se um cachorro infringir as regras do grupo poderá ser expulso e se tornar um proscrito.

 

Então, para quem está curioso sobre a resposta da nossa pergunta, aí está a melhor maneira de se ensinar uma lição para o cachorro que tenta morder seus donos: SER ISOLADO DA SUA MATILHA!!!

 

Bem, o que isto tem a ver com a gente? Afinal, a maioria dos donos de cães não tem uma matilha em casa, apenas um lindo peludinho… Acontece que os cães enxergam o mundo com olhos de cachorro, e mesmo que não haja outros cães na casa eles consideram os donos como parte da sua família/matilha.

 

Então chegamos onde queríamos: quando você isola o seu cachorro do convívio da sua família, seja trancando-o na varanda, na área de serviço ou em qualquer outro lugar enquanto os humanos estão convivendo em outro ambiente da casa, você está aplicando, conscientemente ou não, o pior “castigo” para ele!

 

No caso do peludo ser malcriado e desaforado o bastante para morder o próprio dono, fazer com que ele acredite que será proscrito pela sua família humana é uma correção bastante contundente e eficaz. Se logo após a mordida o cachorro for isolado em algum lugar, e associado a isso a família inteira der um grande “gelo” nele por umas horas, o meliante vai pensar duas vezes antes de cometer o mesmo erro.

 

Mas veja bem: como esta é uma correção muito severa e valiosa, é importante preservá-la para quando o cachorro cometer um erro de convívio social muito grave, como morder alguém da família. Neste caso deve-se pegar o cachorro e mantê-lo em uma varanda, ou na área de serviço ou outro lugar mais afastado e sem nenhum divertimento por 10 minutos. Durante este período todos da casa devem fazer barulho, conversar e deixar claro para o cachorro que o resto da turma está se divertindo bastante.

 

Depois deste tempo, se o cachorro estiver quieto, pode ser liberado, porém todos da casa devem ignorá-lo solenemente por algumas horas, às vezes por alguns dias. É importantíssimo que ninguém fale com ele, toque, dê um brinquedo ou tenha qualquer interação lúdica. Lembre-se que o que se quer é que ele se sinta preocupado em ficar fora da família, e que todos estão mudando o comportamento normal.

 

Embora só o isolamento não baste como terapia para a total mudança de comportamento deste cachorrinho, este é sem dúvida um grande aliado dos donos, pois não incita uma reação violenta por parte do animal e não exige técnicas apuradas, e quando aplicada da maneira correta, tem um efeito moral inigualável.

 

Infelizmente muita gente aplica esta correção inconscientemente, por exemplo quando os donos não permitem que os cães habitem a parte social da casa pois soltam pelos, fazem xixi, etc. e os isolam em algum canto. Ou então quando os donos, mesmo passando o dia fora, o colocam para dormir sozinhos. Ou sempre que chega uma visita e o cachorro fica preso no canil. Ou quando se mora em uma casa e o cachorro é deixado apenas no quintal, passando quase que a totalidade do tempo sozinho, sem a companhia dos donos. Na verdade existem muitas situações em que o cachorro fica isolado da sua “matilha”. Vale a pena você pensar um pouco e ver em que situações o seu peludo fica distante de vocês.

 

As consequências para um cachorro isolado constantemente da sua família podem ser muitas e variadas. A mais comum é o animal começar a se “auto isolar”, isto é, ficar cada vez mais distante do grupo e não sentir prazer em conviver com as pessoas da casa. Como para ele não há um motivo claro por estar sendo isolado, ele poderá se tornar agressivo, arredio, medroso e infeliz.

 

200358462-001

 

Resumindo: Se você quer ter um cão educado e feliz, que confie em você e em todos os membros da sua família, evite dar a ele a oportunidade de fazer alguma coisa que você não quer. Ensine o que você espera dele, recompensando-o pela atitude correta, ao invés de puni-lo pelas coisas erradas.

 

Tenha em mente que correção não é sinônimo de punição. Para corrigir o seu amigo não é preciso usar de violência física, e você tem que dar condições para o peludo acertar e para entender exatamente o que é que está sendo corrigido. A correção deve ser aplicada imediatamente, quando o cão está cometendo o erro, bem como a recompensa quando ele acerta. Quanto às alternativas da nossa pergunta sobre como corrigir um cachorro que tenta morder o dono, a resposta correta você já sabe. Que tal agora saber por que as outras estão incorretas?

 

1- Bater no cachorro não vai funcionar para ensiná-lo a fazer qualquer coisa da forma correta. Pode servir para aliviar a frustração de donos ou profissionais desequilibrados (tem gente que é assim, vai fazer o que, né?), para deixar o cachorro com medo de determinadas situações ou pessoas, ou para transformar o cão numa bomba relógio prestes a explodir contra o indivíduo na próxima vez em que tiver uma oportunidade ou for ameaçado.  O mesmo acontece quando o cão é punido ficando suspenso pela coleira até perder o ar.

 

2 – Ignorar é uma correção bastante eficaz, especialmente quando a ação indesejada está diretamente associada à pessoa que o faz (quando o cachorro late para chamar a atenção do dono, por exemplo), mas não dá para ignorar um cachorro que está te mordendo, certo? É perfeito para ser usado junto com o isolamento nos casos graves de agressividade para com os donos. Uma correção impessoal e usada sem que haja danos para o peludo pode ser de grande ajuda na hora de interromper ou cessar comportamentos que trazem riscos para as pessoas, ou para o próprio bicho.  Nestes casos um aparelho de ultrassom como o Dazer, a Coleira Anti-Latido ou um spray de ar comprimido como o Pet Corrector podem fazer a diferença.

 

3 – Deixar o animal sem comer não é correção. É uma crueldade injustificável.

 

4 – Deixar o cão acorrentado é algo impensável! Quando isso ocorre com constância, o animal pode se tornar agressivo, medroso, antissocial. Quando se quer isolar um cachorro é preciso impor barreiras visíveis: ele vê você, mas não consegue se aproximar. NUNCA DEIXE O SEU CACHORRO PRESO A UMA CORRENTE!

 

Pois é, no final de tudo queremos dizer que é preciso ter muita calma e sensibilidade para se ensinar a um cão o que esperamos dele. Não é preciso, nem recomendado, usar correções físicas com o bichinho toda vez que ele errar, mas existe a hora certa e apropriada para ser firme com os peludos duros na queda. Uma vez que o cão já aprendeu corretamente o que se espera dele e ainda assim opta por não obedecer, é preciso primeiro mudar a atitude do dono (alguma coisa diz ao cão que ele não precisa obedecer). Ainda assim é bom lembrar sempre que existem outras correções “morais” mais adequadas, e que para a maioria dos cães os métodos gentis e positivos ainda são a melhor maneira de treiná-los.

 

A BitCão oferece produtos que funcionam como um reforço aversivo (o cachorro para de repetir o comportamento a fim de evitar a correção), mas que não são cruéis ou perigosos para o seu peludo.  Você pode contar com o Dazer, o Pet Corrector ou a Coleira Anti-Latido quando for preciso, mas bom mesmo é saber que para a maioria dos cães os métodos gentis e positivos ainda são a melhor maneira de treiná-los.

Deixe um comentário para NELCY SANTA DE CARVALHO Cancele Resposta12 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 comentários em “Qual a melhor correção para o seu cachorro”

  1. NELCY SANTA DE CARVALHO disse:

    Tivemos dois cães na vida, uma dachs e uma vira-lata extremamente adoráveis. Minha dachs ficou conosco por 14 anos. Perdemos a vira-lata este ano. Ela faleceu precocemente devido à falência renal; tinha apenas 3 anos.
    Ganhamos então uma vira-lata filhote que, de uma hora para outra, começou a morder minha mãe e depois, outros membros da família.
    Como nunca lidamos com cães “mordedores” antes, começamos a nos sentir frustrados pois, nenhuma das correções que normalmente usamos em relação a outros comportamentos indesejáveis estavam funcionando.
    Acessei o site para adquirir uma GL e me deparei com este artigo justamente no momento em que minha cachorrinha estava no sofá “atacando” minha mãe que, desesperadamente, tentava afastar o cachorro ou então enrolá-la no cobertor para restringir sua fúria.
    Fui até lá, peguei a cachorrinha e, sem dizer nada, a isolei em um quarto sem brinquedos ou distração.
    Após 10 minutos, abri a porta e não disse nada. Ela saiu calma e, creio eu, consciente de que aquele comportamento não será mais tolerado.
    Obrigada! Não poderia ter lido esse artigo em momento mais apropriado!

  2. Cybele Russo disse:

    Sou Cliente Bitcão a muito tempo! E compro sempre!! Adoro os produtos, são de qualidade, entrega rápida, sempre sou atendida com gentileza quando preciso, meus filhotoes amam qdo chegam os pacotes do Bitcao!!! Tenho Labrador, Golden, Husky e Srd então a turma é grande e forte!! Precisam de brinquedos fortes!!! Rsrs Adorei as dicas e parabéns equipe Bitcao minha turma adoraaaa vcs!!!! Auauau

    1. BitCão disse:

      Obrigada, Cybele! As suas palavras são uma grande recompensa para o nosso trabalho!!!

  3. Silvia Regina M Freitas disse:

    Tenho um Rot de 3 anos que é meu xodo e vive constantemente ao meu redor. Tenho vários mas como ele é o Alfa do bando, ele sempre quer impor respeito com outros ca~es no tertitorio dele. Semana passada, resgatei da rua um Pitbull idoso que estava abandonado. Ele está ficando lindo e procuro alguém para adotá-lo pois meu Rot não o aceita. Tenho de deixar o Pitbul constantemente preso no canil e morro de compaixão pois ele me adora e é muito querido e socialvel. Teria algum método que eu possa utilizar para promover amizade entre os dois? Tenho receio de que nunca possa deixa-los se aproximarem um do outro, até mesmo pelo “stigma” dessas raças. O pitbul é muito forte embora idoso. Se brigarem, será uma guerra de titans e não saberei o que fazer pois amo os dois. Obrigado!!!

    1. BitCão disse:

      Olá Silvia, realmente não é uma situação fácil, principalmente por serem dois cães adultos, machos e de raças bem poderosas e dominantes. A disputa por território é praticamente certa, ainda mais se não forem castrados. Não é questão de stigma, mas de hormônio e dominância. O ideal para esta aproximação seria contar com a ajuda de um profissional para avaliar a reação de cada um.

  4. Fernanda Custódio disse:

    Realmente esta correção funciona!
    Sempre que uma das minhas cachorras briga com a outra, eu aplico este método: prendo ela por um tempo no lavabo, e depois todos à ignoramos.
    Ela até tenta chamar minha atenção trazendo brinquedos, e pulando na minha frente, mas mesmo com dor no coração, eu à ignoro por um tempo, pois sei que deve ser corrigida.

  5. celeste disse:

    Tenho uma akita de 5 anos , que ficou um período de 1 ano e meio a dois anos isolada no andar superior da casa , pois tinha outra akita mais velha , as duas brigavam muito, ha 3 anos a mais velha morreu então a casa é so dela, , Quando recebo alguem late sem parar , não para,
    é arredia, medrosa, gostaria de melhorar o seu comportamento, carinho raramente, agora deu para rosnar para minhas filhas, genros., estou muito preocupada. O que posso mudar para ajuda-la e nos ajudar.
    Um abraço.
    Celeste

    1. BitCão disse:

      Olá Celeste, como ela ficou muito tempo isolada, o ideal seria iniciar um processo de socialização bem intenso com pessoas e cães. A leve para passear o máximo possível, para que possa se acostumar com movimentos e barulhos. Isso deverá fazer com que se torne mais segura e lide melhor com as mudanças. Caso você não observe melhora no comportamento dela, seria ideal contar com a ajuda de um profissional.

  6. Tiago disse:

    Show de bola as dicas passadas. Parabéns pelo conteudo 😉

  7. Rosiene Ferreira da Costa Inácio disse:

    Parabéns e obrigado pelas preciosas dicas!

  8. Angela disse:

    Gostei muito das dicas, muito oportuno, pois vejo muitos casos em que os animais ficam isolados o tempo todo ou pior, amarrados para ficarem bravos. Isso quando as pessoas não optam por agressões. Então, o artigo elucida e dá opções. Ao menos para aqueles que querem acertar as informações são muito bem vindas. Obrigada.

  9. dilma disse:

    Adorei as dicas