Voltar para os artigos

Raças > Scottish Terrier

3scottish_terriers

História e Características Gerais da Raça

A Escócia é considerada a Terra dos Terriers, pois com a sua grande quantidade de cavernas, fendas, e tocas foi origem de mais de 6 raças desse tipo de cães. O Scottish, por sua vez, é considerado por uns como o mais antigo deles, sendo sua origem datada do início do século 16. Como os humanos, os cães são reflexo do seu ambiente, e é fácil entender como uma terra inóspita gera um cão durão, determinado, inteligente, e até afetuoso. Muitos dizem que os escoceses criaram os Terriers a sua própria semelhança.

Dentre os Terriers, o Scottish é conhecido pela sua inteligência, valentia durante a caçada, agilidade tanto na terra quanto na água, e coragem para se enfiar em tocas e buscar sua presa. Mas também ele é considerado como um grande companheiro para seu dono.
Poucas raças caninas foram desenvolvidas com tanto cuidado na preservação das suas características quanto o Scottish Terrier. Por isso hoje o Scottish possui tão pouca variação em seu perfil e temperamento.

O entusiasmo dos seus admiradores é bem fundado. Poucas outras raças superam o Scottish na caçada de ratos, furões, coelhos, perdizes, ou outros pequenos animais, perseguindo suas presas tanto em tocas, como em arbustos ou riachos. Eles são, também, ótimos ajudantes durante uma caçada com armas de fogo, buscando a caça após o abate ou mostrando a caça para o seu dono.

O Scottish possui em excesso todas as características de um Terrier. Eles são alertas, rápidos, espirituosos, e cheios de energia. Isto faz deles ótimos cães de guarda, e caçadores de pequenos animais. Mas, infelizmente, esta tendência para caçar é ruim para o gato do vizinho ou um passarinho desavisado.

Tamanho:
De 25 cm a 28 cm de altura (na cernelha).

Peso:
varia de 8,5 a 10,5 quilos.

Aparência:
Cabeça longa mas proporcional ao seu corpo. Nariz e dentes grandes. Os olhos são em formato de amendoa da cor castanho escuro. Orelhas em “V” e em pé. Corpo e pescoço musculosos, dando a aparência de “muita força para um cachorro tão pequeno.”

Pelagem e Cor:
Pelagem espessa e áspera, com uma camada macia de sub-pêlo que o protege da chuva e frio. Para manter a beleza do seu pêlo, é necessário que ele seja tosado por profissionais pelo menos 2 vezes ao ano e que seja escovado freqüentemente. A cor mais comum é a preta, mas também existem tigrados, e cor de trigo.

Cauda:
de tamanho médio, carregado reto ou levemente curvado.

Propensão a doenças:
Os Scotties são geralmente saudáveis, mas suas doenças mais comuns são alergias, doenças de pele, e disordens da mandíbula. Outra doença é uma espécie de cãibra que deixa o cão com dificuldades de andar. A doença genética mais comum em um Scottish é a Doença de Von Willebrand, que traz problemas de coagulação no seu portador. Procure comprar o seu filhote de um criador que tem suas matrizes livres desta doença.

Expectativa de Vida:
12 a 15 anos.

Cuidados Especiais:
Para manter-se saudável, o Scottish precisa de bastante exercício. Longas caminhadas diariamente são o exercício perfeito para ele.

 

scottish_terrier

Perfil da Raça

É fácil entender por quê o Scottish tem tantos admiradores. Eles são corajosos, determinados, ousados e atrevidos. Dentre todos os Terriers são os Scotties que possuem os níveis mais elevados em cinco itens que medem níveis de reação e agressividade (ver no final). Apesar deles também terem altos níveis de excitabilidade e em tendência de morder crianças, eles têm pouca demanda por afeto e é apenas moderadamente alto em nível de atividade geral e latido excessivo.

Os Scotties têm uma grande tendência de exercer dominância sobre os seus donos, o que denota que eles são muito independentes e teimosos. Esta não é uma raça para as pessoas que não estão dispostas a investir seu tempo em treinamento de obediência, ou que não desejam ser duras e determinadas em seu relacionamento com o cão. É fundamental que os donos de um Scottish tenham bastante paciência e conheçam em detalhe as características psicológicas de um Terrier. Pode ser muito difícil convencer um Scottish de mudar a sua maneira agir. Por isso, para treiná-lo é preciso uma mão firme mas gentil, ou ele irá rapidamente “tomar conta da casa”

Felizmente esta é uma raça de cães pequenos, pois assim eles tem menos possibilidade de causar ferimentos ou danos que um cão maior teria se tivesse as mesmas características. E, apesar dos Scotties não serem bons alunos nas aulas de obediência, eles também não são os piores da classe. Assim, o esforço do dono em treiná-lo para obediência é recompensado.

Com sua grande tendência para atacar quando irritado, esta não é uma raça adequada para conviver com crianças muito pequenas.

Também o seu alto potencial para destruição, o seu nível de latido acima da média, e o seu elevadíssimo nível de agressividade com outros cães, fazem dele um cachorro pouco recomendado para a maioria das famílias. Ele é um ótimo cão de guarda, mas o seu pequeno tamanho faz dele ineficaz para proteger a sua casa. Eles também são cavadores compulsivos e é muito difícil encontrar uma cerca capaz de conte-lo quando ele realmente quer sair.
Um estudioso da raça* disse que “eles são muito inteligentes, mas têm vontade própria. Um Scottie poderá obedecer a um comando dezenas de vezes, e então decidir que não irá mais faze-lo. Um dos comandos mais desafiados por ele é o “VEM”. Se você chama-lo porque sua comida está servida, ele virá imediatamente, mas se for para fazer uma sessão de escovação ou tosa, ele irá descobrir rapidamente a sua intenção e colocará o seu pedido em uma longa lista de projetos prioritários para ele,que incluem cavar o jardim, perseguir o gato, correr atrás do coelho, mastigar o pé da mesa, etc.”

O Scottish foi criado e desenvolvido geneticamente para trabalhar independentemente do seu dono. Quando ele está encurralando uma raposa durante a caçada, ele não tem tempo para esperar um comando do seu dono. Por isso você não verá Scotties indo muito bem nas competições de Obediência, mas esta raça, extremamente inteligente, é capaz de aprender comandos, e é fundamental que ele faça o treinamento de Obediência Básica para aprender qual é sua posição na família. Este treinamento também é muito importante quando o Scottish não for o único animal doméstico da família. Neste caso o treinamento de socialização deve começar a partir dos dois meses de idade.

Obs.: O gráfico acima é o resultado de um estudo realizado por Benjamin L. Hart e Lynette A. Hart, veterinários e Phd’s em comportamento animal, que entrevistaram dezenas de veterinários, treinadores e juizes de competições de obediência nos EUA.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz