Voltar para os artigos

Raças > Terrier Brasileiro

 

História e Características Gerais da Raça

Além do Fila Brasileiro, o Fox Paulistinha é a única outra raça “brasileira” reconhecida pela Federação Cinológica Internacional (FCI). Foi em Julho de 1995 que a raça foi finalmente oficializada, e passou a ser denominada Terrier Brasileiro. Mas a luta para o reconhecimento destes cãeszinhos já vem de muito tempo.

A raça teria surgido do cruzamento de cães Jack Russell Terrier, trazidos para o Brasil da Europa no século 19, com outros cachorros que viviam nas fazendas. A nova raça foi sendo apurada ao longo dos anos e em 1964 foi elaborado o primeiro padrão da raça. Em 1973 a Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) suspendeu a emissão de pedigrees e só após 8 anos (1981) alguns criadores resolveram fundar o Clube do Fox Paulistinha. O sucesso do clube foi tamanho que em 1985 a CBKC voltou a conceder os registros, mas alegou que as competições de beleza e conformação só teriam validade em circuito estadual e não nacional como os criadores queriam.
Mais alguns anos de luta e em 1992 foi firmado um novo acordo que viabilizava a busca do reconhecimento da raça a nível internacional. Forram mais 3 anos de muita batalha para convencer os responsáveis pela homologação dos padrões da raça, junto à FCI, que o Terrier Brasilerio tinha condições de ser reconhecido como uma raça diferenciada das já existentes (algumas muito semelhantes) e que nossos criadores já tinham um trabalho muito adiantado no que diz respeito ao desenvolvimento e controle das criações. Agora o Terrier Brasileiro conseguiu o seu registro provisório (situação de praxe para novas raças) e dentro de 10 anos será feita uma nova avaliação e, aí sim, será emitido o registro definitivo da nossos queridos Fox Paulistinhas.

Hoje, ainda que poucos, já existem exemplares do Fox Paulistinha em diversas partes do mundo, como África do Sul, Estados Unidos, França, Finlândia, Portugal, Áustria, Espanha e até no Japão.

 

Tamanho:
Machos: de 35 cm a 40 cm;
Fêmeas: de 33 cm a 38 cm.

Peso:
O peso máximo não deve passar de 10 quilos

Aparência:
Corpo de aparência quadrada, robusto sem ser pesado, de estrutura harmônica e esbelta; movimentação elegante, livre, rápida e com passadas curtas.

Pelagem e Cor:
Pêlo liso, curto, denso, mas não macio. A cor predominante é o branco, com manchas pretas, morrons ou azuis. É obrigatório marcas marrons acima dos supercílios, nas faces laterais do focinho e da face interna e borda das orelhas.

Cabeça:
Crânio triangular, largo na base, com bom afastamento das orelhas e estreitando a partir dos olhos; nariz de pigmentação escura; olhos redondos, moderadamente salientes e bem escuros; orelhas pequenas em formato “v” pendendo para frente..

Cauda:
Cortada na altura da segunda vértebra.

Expectativa de vida:
De 13 a 16 anos

 

Perfil da Raça

Como todo bom terreier, não se engane com o tamanho “compacto” de um Fox Paulistinha. Ele pode ser pequeno, mas ele não sabe disso e se comporta como se fosse o próprio Fila Brasileiro quando o assunto é valentia.

Alegres e inteligentes, aprendem com muita facilidade tudo o que é truque novo e adoram dar um “toque pessoal” a qualquer treinamento. De alguma maneira eles são ligeiramente menos teimosos que seus primos terriers e sua característica principal é a facilidade com que aprendem a antecipar os movimentos de seus donos, e muitas vezes imita-los. Muitos donos de Fox Paulistinha contam como eles aprenderam a trazer os chinelos ou os pijamas para uma determinada pessoa da família, depois de observar por alguns meses a rotina diária da pessoa. Ou então como eles se encaminham para a porta e esperam o dono chegar, no mesmo horário que ele chega todos os dias. Eles normalmente fazem este tipo de coisas sem que tenham sido ensinados para executar tal tarefa, é simplesmente um dom da raça. Outra característica notável é a disposição para assumir a guarda da família e de sua propriedade. Claro que um Paulistinha pode não assustar ao ladrão, mas ele é extremamente alerta e útil para fazer os cachorrões maiores e mais preguiçosos entrarem em ação ao menor sinal de ruído ou movimento estranho.

Cheios de energia, estes pequenos companheiros adoram brincar e se exercitar regularmente. Parecem incansáveis quando o trabalho é “matar” um par de meias, perseguir um bolinha de tênis, ou passear com seus donos.

Um atenção especial é necessária quando o assunto é educar pequenos filhotes que demostram toda a sua vocação para ser o chefe da matilha. Muito amor, paciência, firmeza, disciplina e determinação são necessários para que estes pequenos malandrinhos se ajustem com tranqüilidade e não venham a ser tornar pequenos monstrinhos tiranos.

Embora divertidos e excelente companhias, estes cachorrinhos podem parecer um tanto “nervosinhos” para pessoas que simplesmente querem um cachorro para ficar deitado aos seus pés o dia inteiro. Nestes casos o Fox Paulistinha, ou Terreir Brasileiro como passará a ser conhecido mundialmente, não é o tipo ideal de cachorro. Também é melhor pensar duas vezes antes de adquirir um destes valentes guerreiros, se o seu negócio é ter um cachorro que não lata muito. Meigo e afável com os familiares, eles costumam ser bastante desconfiados quando se trata de estranhos.

Deixe um comentário 1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 comentário em “Raças > Terrier Brasileiro”

  1. Rogério Ceraso disse:

    Sempre gostei desta raça de cachorro e agora adquirir um e seu nome é Bobe, como lidar com sua alimentação e quais tipos de vitaminas recomendáveis e suas acomodações.