Voltar para os artigos

Seu bicho merece sombra e água fresca

Sombra e Água Fresca

Se a gente sente na pele os efeitos do calor exagerado, o mesmo acontece com os nossos bichos. Por isso, fique bem atento a certos cuidados no calor, que devem ser tomados para garantir que seu peludo esteja confortável e, principalmente, saudável:

1 – Se for sair de casa e deixar o cachorro ou gato sozinho, tenha certeza que ele tem um local fresco e arejado, com sombra suficiente para se abrigar do sol;

2 – Deixe água fresca sempre disponível, bem mais do que normalmente. Uma boa ideia é usar vasilhas bem grandes e colocar cubos de gelo para manter a água mais refrescante;

3 – Evite passeios em horários muito quentes. Prefira SAIR com seu bicho logo no início da manhã, no final da tarde ou à noite. Em regiões que têm horário de verão, vale lembrar que às cinco da tarde o sol ainda está bombando!

4 – Nunca deixe um cão preso dentro de um carro em um dia quente, mesmo que com uma pequena fresta pela janela. A temperatura dentro do carro sobe muito rapidamente e não há ventilação suficiente para o cão se refrescar;

5 – Não deixe seu cão exposto ao sol por muito tempo, mesmo que ele esteja se divertindo, jogando bola e até nadando. Além do calor, o sol pode provocar queimaduras na pele, principalmente nas pontas das orelhas e focinhos;

6 – Cuidado com exercícios prolongados. O cão pode não perceber o calor por estar se divertindo e acabar sofrendo uma intermação;

7 – O chão muito quente pode provocar queimaduras nas almofadinhas das patas. A gente anda de sapatos, eles não!

8 – Para cães de pelo muito longo, uma boa tosa vai muito bem. Mas lembre-se de não tosar muito curto para não deixar a pele exposta aos raios solares. O subpelo de alguns cães faz uma camada isolante que mantém o calor longe da pele. Se for o caso do seu, tose somente até a altura do subpelo;

9 – Cuidado redobrado com cães de focinho curto, como pugs, shih-tzus e buldogues. Eles são muito mais sensíveis, já que não conseguem fazer a troca de calor de um jeito tão eficiente quanto os cães de nariz mais comprido;

10 – No calor, a incidência de pulgas e carrapatos aumenta consideravelmente.  Mantenha em dia a aplicação de produtos para evitá-los;

11 – Se o cão estiver muito ofegante, refresque-o mergulhando em água fria ou borrifando a água sobre o pelo. Uma toalha molhada na barriga também ajuda a refrescar. Existem ainda bandanas especiais com gel que retém água e colchões especiais para deixar seu peludo fresquinho por mais tempo;

12 – É normal que haja uma pequena perda do apetite em dias muito quentes. A menos que a inapetência esteja associada a outros sintomas, pode ser simplesmente o incômodo do calor. Por outro lado, o calor baixa a imunidade, então condições latentes ou crônicas podem aparecer, fique de olho;

13 – Para finalizar, em caso de dúvidas, procure sempre o seu veterinário.

Deixe um comentário 1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.