Voltar para os artigos

Só “DR” não educa o cachorro

disciplina para cães

Muito se fala sobre reforço positivo: se o peludo fizer tudo e como você quer ganha uma recompensa como biscoito ou um carinho. O método realmente é o ideal para educar e estreitar o relacionamento entre o animal e seu dono, mas deve ser associado e não substituir a disciplina e liderança. Como na educação de crianças, é preciso saber a hora de dizer não – um atalho quando se precisa de uma comunicação mais rápida e eficaz.

O reforço positivo sem orientação, liderança e disciplina não funciona 100% do tempo, pois falta uma parte da comunicação. Você diz ao cachorro “se fizer isso eu recompensarei você”, mas não deixa claro que não concorda com determinado comportamento, como não pular nas pessoas. Como ele vai saber o que não deve fazer se nada é dito sobre o comportamento indesejado? Os cachorros não são pensadores complexos, muito pelo contrário.

Imagine que você está passeando com seu amigão e outro cão vem na direção contrária, afoito e doido para arrumar uma treta. Seu peludo ainda não está suficientemente educado para ignorar o meliante e dá sinais de querer encarar. O que é mais eficaz? Dizer “querido-sente-se-agora-e-espere-o-doido-passar-que-é-mais-bonitinho-enquanto-isso-vou-achar-o-biscoito-na-bolsa-para-recompensá-lo-por-ser-educado” ou dar um toque na guia, soltar um sonoro “não” e mandar o bicho sentar?

disciplina para cães

A comunicação imediata é, muitas vezes, mais efetiva, e o cachorro não se sentirá “magoado” por receber uma ordem sem muito mimimi – é o que fazemos quando uma criança se aproxima de algo perigoso, por exemplo, e como as cadelas ensinam os seus filhotes, dando-lhes limites desde que nascem. Isso significa orientação e disciplina, mas passa longe da punição – bater em um animal, mesmo “só com um jornalzinho” só gera desconfiança, medo e traumas.

Outra questão importante é não recompensar o mau comportamento do peludo, por exemplo, dando um petisco quando ele começa a latir com a intenção de fazê-lo parar. É provável que isso aconteça, mas ele vai associar os latidos ao prêmio e repetirá a ação sempre que quiser chamar a sua atenção ou encher a barriga. Nessas horas, vale mesmo um “não” bem dado, que ele deverá respeitar se realmente vir em você o líder. E, para isso, como no mundo corporativo, é necessária uma conduta coerente e assertiva: o que pode, pode, e vice-versa – não dá para abrir exceções. Mudanças de regras a todo momento confundem a cabeça do animal. Não quer que ele peça comida à mesa? Não permita que ninguém desvie naquinhos de carne durante as refeições – nem nos finais de semana ou nas visitas da vovó.

A mistura equilibrada de reforço positivo, disciplina e limites fazem maravilhas no relacionamento dos donos e seus cães, mas é fundamental que eles aprendam as regras da casa. Treine seu melhor amigo desde cedo, ensinando tudo o que considerar essencial, para que a convivência de vocês seja cada dia mais prazerosa.

 

Fonte: https://www.dogbreedinfo.com

 

Cláudia Pizzolatto e Regina Ramoska

 

Leia também:

Não seja chefe, mas líder
Treine o que considerar importante
O que o seu cachorro precisa para ser feliz


Deixe um comentário

11 Comentários em "Só “DR” não educa o cachorro"

Notify of

Nanci Paula Cravero Shayer
7 dias 1 hora atrás

Ótimo texto
Entendo que o reforço positivo é extremamente importante mas, assim como com nossos filhos – e eles são! – existem momentos em que precisamos de um firme NÃO!

Patricia Soraia da Silva
20 dias 5 horas atrás

Péssimo texto. Quem escreveu não entende nada sobre a metodologia do reforço positivo, está em cima do muro nem lá nem cá e quem publicou também. Reforço positivo é muito mais que dar petiscos e tampouco existe “DR”. Acredito que vão perder muitos clientes depois desse texto. Eu mesma indicava todos os meus clientes a comprar nesse site, vou indicar outro.

BitCão BitCão
15 dias 20 horas atrás
Olá Patrícia, agradecemos seu comentário. Analisando o nosso texto temos que admitir que nos aprofundamos pouco em um método e um conceito que merece ser aprofundado. Prometemos voltar a fazer uma matéria mais completa sobre o adestramento positivo e também sobre os usos do comando “Não”. A intenção do texto não é criticar o método do reforço positivo, do qual somos completamente a favor, e menos ainda quem se utiliza do método. A nossa proposta é dizer que achamos importante colocar limites no comportamento dos cães, principalmente, se o bem-estar e a vida do animal, de outro animal, ou de… Read more »
Felipe
20 dias 14 horas atrás

O texto é extremamente desrespeitoso com os profissionais do adestramento baseado em recompensa e técnicas gentis. Vocês não se contentaram em apenas expor a opinião de vocês, mas claramente tiveram a intenção de debochar e diminuir o nosso trabalho. Eu como adestrador não comprarei mais e com certeza não indicarei a loja de vocês. Com certeza muitos outros adestradores também farão o mesmo.

BitCão BitCão
16 dias 21 horas atrás

Olá Felipe, agradecemos seu comentário. Somos grandes fãs dos métodos de adestramento positivo e temos profundo respeito pelos profissionais que se dedicam a trabalhar com amor e carinho com os nossos peludos. A BitCão é pioneira na importação e venda de produtos usados nos treinamentos positivos por acreditar nesta filosofia. Nossa posição com o presente texto é levantar a discussão saudável do uso de métodos positivos associados com o comando “Não”. Nenhuma intenção de debochar ou diminuir o trabalho dos Adestradores que adotam uma metodologia diferente.

Rodrigo Martins
20 dias 23 horas atrás

Corrigir latidos com uma “Não” bem dado?! Vocês só podem estar de brincadeira!

Leitores que chegaram até os comentários por favor procurem profissionais capacitados para adestramento e comportamento canino e ignorem o que está escrito neste texto…

BitCão BitCão
15 dias 20 horas atrás
Olá Rodrigo, agradecemos seu comentário. A BitCão é pioneira na importação e venda de produtos gentis e positivos para a educação dos cães. Fomos os primeiros a ter coleiras de treinamento que não usam trancos, em peitorais que evitam que os cachorros puxem sem machuca-los, em importar clickers e Kongs para o Brasil. Quem conhece a BitCão sabe que estamos comprometidos com o bem-estar dos bichos. Que testamos tudo o que vendemos, que estudamos cada um dos produtos para fazer uma descrição completa, inclusive com prós e contras. O comando “não“ é discutido há muitos anos, entres várias vertentes de… Read more »
Patricia Varela
21 dias 4 horas atrás

Que absurdo a Bitcão assinar uma bobagem tão arbitrária, amadora e imprópria, tentando diminuir o trabalho dos que usam apenas métodos positivos de educação. Alô Rio de Janeiro… Vamos embasar o trabalho com ciência? Se vocês lerem e estudarem vão ver que ciência não falta para acabar com o mito da disciplina e dominância. Falta parar de disseminar mentiras confortáveis para quem está cometendo esse abuso. Aguardo comunicação retratando essa infelicidade. Ou você é mesmo a favor de tranco, puxão, grito, empurrão e enforcamento? Faz isso nos seus, Cláudia e Regina? E nos filhos também?

BitCão BitCão
21 dias 3 horas atrás

Olá Patrícia, agradecemos seu comentário, mas em nenhum momento o texto sugere gritos, trancos, enforcamento ou qualquer outra punição ao animal, e sim que, muitas vezes, nossos peludos precisam ouvir um “não”. 🙂 Abraços

Luiz Henrique Venâncio
21 dias 2 horas atrás

Não é o que a ciência diz: https://www.psychologytoday.com/blog/canine-corner/201603/should-trainers-tell-dogs-when-their-behavior-is-wrong

Em que se baseia a teoria que o não deve existir?

BitCão BitCão
16 dias 21 horas atrás

Olá Venâncio, agradecemos seu comentário. O comando “não“ é discutido há muitos anos, entres várias vertentes de adestramento, onde alguns defendem seu uso e ouros não. Para nós o “não” pode ser usado da mesma maneira que a mãe dos filhotes usa os rosnados para adverti-los de que devem parar de fazer o que estão fazendo, nunca como uma prática abusiva, ou punitiva. Dentro do método de Click and Treat ele pode ser usado como um sinal de “não recompensa”.

wpDiscuz