Voltar para os artigos

Tal raça, tal cão

braydon-anderson-105552

Nem todo comportamento é por acaso, ou fruto exclusivamente do meio em que o cão vive. Antes de reclamar que seu bicho late demais, é muito agitado, vive metendo a boca em tudo, arrasta você pela rua ou é muito carente, veja se você não escolheu uma raça feita para isso. Claro que você não vai amá-lo menos, mas poderá “blindar” a casa para tentar evitar destruição e oferecer experiências que vão aumentar a qualidade de vida do animal e fortalecer ainda mais a relação de vocês.

 

As raças que foram desenvolvidas para trabalhos como caça, guarda ou tração – Terriers, Beagles, Dachshunds, Weimaraners, Schnauzers Miniatura, Samoyedas, Huskies Siberanos e Pastores Alemães, entre outros, parecem ser as mais destruidoras, já que na vida da cidade grande oferece menos oportunidade para que elas se exercitem e esgotem a imensa energia que possuem para um trabalho que nunca executam. Roer funciona para um cachorro como a chupeta para uma criança. Quando se tem um cachorro que adora roer a casa toda, o melhor é dirigir esta energia para outras atividades como jogging, buscar bolinhas, andar de bicicleta ou correr na praia. Mas se nem isso parece ajudar muito, ou se o cachorro passa muitas horas sozinho, então é necessário ensinar a o que é permitido roer e o que não é. Compre um monte de brinquedos próprios para cachorros e vá introduzindo-os aos poucos para seu amigão ter sempre uma novidade. Usar texturas diferentes é muito importante. Procure brinquedos de borracha macia, borracha dura, cordas, materiais porosos, materiais sólidos, etc. Nunca deixe seu bichinho brincar com coisas que possam ser confundidas com objetos que você não quer que ele destrua e evite coisas que possuam seu cheiro ou de membros da sua família. Cachorros não sabem a diferença entre um tênis velho e o Nike novinho em folha, entre o sapato furado e o scarpin italiano, entre a camiseta rasgada e a blusa de seda. Se você não tem crianças em casa, bichos de pelúcia podem ser uma ótima opção, desde que seguros. Brinquedos de plástico devem ser resistentes o suficiente para o seu cão não arrancar pedaços que, se engolidos, podem acabar obstruindo o intestino. Ossos de couro também devem ser vigiados de perto.

raças de cachorro

 

Cães de caça, como o Beagle, Jack Russel e Teckel, que antes ajudavam humanos a encontrar comida, hoje tem lugar garantido no sofá, ao lado dos donos, mas é importante lembrar-se da genética antes de se queixar dos buracos no quintal ou da “explosão” de almofadas – certamente seu peludinho está atrás de uma “raposa imaginária”!

 

O DNA também explica porque cães pastores como o Pastor de Shetland, Pastor Australiano, Pastor Alemão, Border Collie, Kuvasz, etc., são mais “falantes”: sua função original era cuidar de rebanhos, e para arrebanhar as ovelhas mais distraídas os latidos e até mordicadas nos calcanhares eram essenciais. É bom não estimular latidos, principalmente se o bichinho mora em apartamento ou tem vizinhos que não curtem muito a sinfonia.

 

Cães de companhia, como o Lhasa Apso e Shih-Tzu, entre outros, querem a presença dos donos, mas isso não significa ficar só dentro de casa vendo TV – como todas as raças, precisam de exercícios, socialização e muita brincadeira para serem saudáveis física e mentalmente. Os Labradores, embora não sejam elencados nessa classificação, também são muito apegados aos donos e sofrem e desenvolvem comportamentos destrutivos se não puderem estar fisicamente próximos daqueles que amam. Preferem viver num pequeno apartamento junto à família do que do lado de fora de casa sem companhia. Por outro lado, como todo cachorro, precisam dar vazão à sua energia.

 

Brincalhões pela vida afora, os labradores normalmente deixam seus impulsos destruidores de lado assim que chegam a idade adulta (mais ou menos 2 anos). Apaixonados pelo trabalho, estes cachorros facilmente escolhem como “predileto” aquele que os treinam. São inteligentes, adaptáveis, adoram exercícios mas sabem ficar deitados aos pés de seus donos com o maior prazer.

 

As características genéticas contribuem para determinados comportamentos dos cães – estude e pesquise bastante para entender melhor o seu melhor amigo!
Claudia Pizzolatto e Regina Ramoska

Leia também:

Raças: Lhasa-apso
8 curiosidades sobre cães
É um cachorro ou um cão-tor?

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of

wpDiscuz