Voltar para os artigos

Um dono é bom, dois são demais

cao-comunitario

O cão comunitário não tem apenas um dono, mas vários. Cabe a eles oferecer condições para que o bichinho se mantenha saudável e feliz, com cuidados com a saúde e bem-estar, inclusive psicológico (leia-se carinho e atenção!). Embora vivam nas ruas, esses bichinhos têm sua casinha, alimento, água fresca e quem olhe por eles – são, inclusive, protegidos por lei em várias cidades do Brasil. Uma vez cadastrados no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da região, são castrados, vacinados contra raiva e microchipados gratuitamente, ainda que continuem vivendo nas ruas.

tigela02

Talvez exista algum “carinha” perambulando nas imediações que já tenha conquistado a simpatia da vizinhança (além da sua, claro) e possa ter essa chance. Em muitos casos, pessoas que gostam de animais já disponibilizam água e ração em suas portas para essa turminha sem teto, e facilmente vão comprar a ideia. Após o cadastro no CCZ, é bacana organizar as tarefas – afinal, reza a lenda que cão que tem muito dono passa fome. Combinem quem vai alimentá-lo e em que horário, de quem é a responsabilidade de manter o pote de água abastecido e limpo e estabeleçam um calendário de vermifugação e proteção contra pulgas e carrapatos – se os de casa já estão expostos a essas pragas horrorosas, imagine os animais de rua! Estabeleçam um calendário para os banhos (vários petshops têm precinho camarada para cães comunitários) e mantenham o peludo com coleira e medalha de identificação com os contatos de alguns dos responsáveis, que possam ser acionados em caso de emergência.

milbemax2

Uma casinha, por mais simples que seja, colocada em um local protegido, garante abrigo no frio, chuva e nos horários mais quentes do dia. Além disso, funciona como um “porto seguro” para o animal. E não é porque o peludinho é de rua que não gosta de entretenimento: brinquedos e ossos vão ajudá-lo a passar o tempo e a manter a boca livre de tártaro.
Cuidar de um cão comunitário não é bom apenas para o bicho: muitos laços de amizade se formam em torno dele. Que tal colocar a ideia em prática? Se você já vive essa experiência, compartilhe sua história com a gente!

 

  • Cláudia Pizzolatto e Regina Ramoska

Deixe um comentário

2 Comentários em "Um dono é bom, dois são demais"

Notify of

[…] fonte: Maréria por Cláudia Pizzolatto e Regina Ramoskam publicada originalmente no blog BitCão: https://www.bitcao.com.br/blog/um-dono-e-bom-dois-sao-demais/ […]

Claudia
5 dias 22 horas atrás

Muito bacana a matéria do Cão Comunitário.

wpDiscuz